Artigo Original 1

Authors

  • Maria Helena Larcher Caliri Enfermeira, Professor Associado da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Departamento de Enfermagem Geral e Especializada.
  • Giovana Pelosi Martins Enfermeira, Aluna do 4º ano de graduação em 2007, Bolsista IC, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Abstract

Análise da Produção Científica da Enfermagem Brasileira na Área de Feridas Crônicas e Meios Utilizados para sua Disseminação

ResumoLevantamento bibliográfico em bases de dados nacionais e internacionais sobre publicações sobre feridas crônicas por enfermeiros brasileiros de 2000-2006. Identificou-se 105 publicações indexadas, nas categorias artigos em periódicos (50,5%), dissertações (41%), teses (5,7%) e monografias (2,8%). Foram localizadas 83 publicações (79% do total indexado), sendo 48,6% na forma de artigos, 25,7% dissertações e 4,7% teses. Do total, 16 eram publicações de teses/dissertações, também indexadas. A amostra foi 67 publicações. O LILACS indexou a maior frequência de publicações (50%), seguido do CINAHL (39%). Das 32 teses e dissertações, 25 (78%) tinham o resumo no site da Capes e 14 (44%) no CEPEn. Quanto ao autor principal, 56,36% eram mestres e 16,36% doutores, sendo 47% docentes em IES e 34,55% enfermeiros em serviços de saúde. O enfoque mais frequente dos trabalhos foi a úlcera por pressão e o pé diabético.Palavras-chave: Cicatrização de feridas. Úlcera por pressão. Pé diabético. Úlcera varicosa.AbstractA literature search was performed using national and international databases to identify publications on chronic wounds authored by Brazilian nurses between 2000 and 2006. One hundred and five indexed publications were identified under the categories: journal articles (50.5%), theses (41.0%), dissertations (5.7%) and monographs (2.8%). Eighty three publications (79% of the total indexed publications) were located in the form of articles (48.6%), theses (25.7%), and dissertations (4.7%). Out of the total publications, 16 were theses/dissertations, which were also indexed. The sample consisted of 67 publications. Most publications were indexed in Lilacs (50%), followed by Cinahl (39%). Of the 32 theses and dissertations, 25 (78%) had the abstract published on CAPES’ website, and 14 (44%) on CEPEn’s website. With regard to the first author, 56.36% had master’s degree and 16.36% had doctoral degree, with 47.0% of them being college instructors, and 34.55% being nurses working in health care. The most frequent topics of the studies were pressure ulcer and diabetic foot.Key words: Wound healing. Pressure ulcer. Diabetic foot. Varicose ulcer.IntroduçãoO quadro de transição demográfica apresentado no Brasil com o aumento da expectativa de vida da população, aliado ao aumento do número de pessoas com condições crônicas e feridas crônicas, tem requisitado dos estudiosos da área da saúde um olhar ampliado na busca de intervenções que enfatizem não só o tratamento, mas também a sua prevenção.As feridas crônicas têm significante impacto sócio-econômico para pacientes, famílias e sistema de saúde do mundo todo. Nos Estados Unidos são gastos mais de três bilhões de dólares por ano com a assistência a pessoas com feridas crônicas, entretanto, este custo tem incluído somente os gastos com o material utilizado e o tempo do cuidador formal e informal, sem contabilizar aqueles referentes aos aspectos emocionais envolvidos pela presença da lesão1.A Organização Mundial da Saúde (OMS), ao abordar os desafios existentes no mundo para enfrentamento das condições crônicas em saúde destaca que as complicações e resultados finais de um mau gerenciamento seguem um curso conhecido e previsível, embora possam ser evitados, e que os trabalhadores da saúde não dispõem muitas vezes de ferramentas e perícia, e a prática não é orientada pelas evidências científicas2.Estas questões estão diretamente ligadas à falta de educação permanente dos profissionais, pois “muitos países não possuem nenhum requisito ou mecanismo para que os trabalhadores participem de atividades educacionais após o término de sua formação acadêmica”2.Os enfermeiros precisam estar capacitados para influenciar os sistemas de prestação de serviços, colaborando na criação e estruturação de políticas de saúde, sendo para isso necessário o aumento da produção científica e a sua disseminação e utilização3.Observa-se nas últimas décadas que o desenvolvimento científico e tecnológico trouxe transformações na área de assistência e o curativo passou de procedimento técnico, com rituais e mitos, para um procedimento com embasamento científico proveniente de diversas áreas do conhecimento.A avaliação da produção do conhecimento sobre úlcera por pressão (UP) na literatura nacional e internacional durante o período de 40 anos, evidenciou que as décadas de 60 e 70 marcaram o surgimento do interesse dos enfermeiros pela pesquisa clínica, e as publicações internacionais tiveram como enfoque principal a descrição do fenômeno e da situação onde ocorria: pacientes idosos com diversas doenças e jovens com lesão medular. Na década de 80 os pesquisadores estrangeiros preocuparam-se principalmente em investigar no contexto da prática de enfermagem quais as condições que antecederam a ocorrência da UP e suas conseqüências. Na década de 90 houve aumento das publicações internacionais que disseminavam as diretrizes para a prática baseada em evidência, tanto para a prevenção como tratamento da UP. Considerando somente a produção nacional, foram encontradas menos de 20 publicações sobre o assunto no período de 40 anos. Embora na década de 90 tenha ocorrido um incremento nas publicações, o maior enfoque ainda foi nas medidas curativas e nos estudos de incidência para mapear a ocorrência da UP4.Estudos referentes à utilização dos resultados de pesquisa pelos enfermeiros têm demonstrado que as principais barreiras estão ligadas à falta de conhecimento dos profissionais sobre as pesquisa e as características da instituição onde os enfermeiros desenvolvem a sua prática, na qual esse não tem autoridade ou tempo suficientes para implementar os novos resultados ou inovações5.Entretanto, para que o enfermeiro seja capaz de tomar decisões sobre o cuidado de pacientes em risco ou com feridas, seja esse cuidado preventivo ou curativo, é necessário um conhecimento científico prévio, que embora possa ser adquirido durante a graduação, precisa ser atualizado freqüentemente, dada a natureza das mudanças da produção de evidências.No Brasil, na área de feridas crônicas, a necessidade de construção de recomendações para ações na prática clínica de enfermagem, tem sido discutida e enfocada nas teses e dissertações produzidas por membros de núcleos ou grupos de pesquisa, nas publicações científicas de profissionais envolvidos com o tema e nos eventos científicos. Entretanto, embora essas sejam as formas mais comuns de comunicação dos resultados de pesquisa, também em outros países com maior tradição na utilização de resultados de pesquisa, na prática, diversas barreiras para a difusão do conhecimento para os profissionais estão presentes e associadas, principalmente, à dificuldade de acesso às informações e à interpretação dos resultados5.A literatura destaca que outras barreiras existentes para que os enfermeiros tenham uma prática atualizada são: a dificuldade de encontrar a produção cientifica existente sobre o assunto que não se encontra agrupada no mesmo local, a falta de tempo para a busca e a dificuldade dos profissionais de compreenderem as publicações na língua inglesa5.Acredita-se que a difusão de uma inovação ou de um novo conhecimento é influenciada pela natureza da inovação, assim como pela maneira que esta é comunicada aos membros de um sistema social5. Disseminação é uma difusão de idéias que não é espontânea, mas planejada, direcionada e administrada. Para que um conhecimento produzido possa ser difundido entre os que podem utilizá-lo, a disseminação precisa ser feita por canais conhecidos pelos usuários. Este estudo propôs realizar um levantamento bibliográfico, de forma sistematizada, para identificar o estado atual da produção de conhecimento sobre feridas crônicas por enfermeiros no Brasil, no período de 2000- 2006, com ênfase para a forma de comunicação e de disseminação, a autoria principal e o enfoque das publicações.MétodosA coleta de dados para a pesquisa foi realizada no período de novembro de 2006 a março de 2007, por meio de levantamento bibliográfico computadorizado nas bases de dados LILACS (Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde) e BDENF (Base de Dados de Enfermagem); na Biblioteca Virtual em Saúde da Bireme (Centro Latino-Americano e do Caribe de Informações em Ciências da Saúde); no MEDLINE (Medical Literature Analysis and Retrieval Sistem on Line), pelo Pubmed; no CINAHL (Cumulative Index to Nursing & Allied Health) pelo site da CAPES; no Catálogo de Informações sobre pesquisas e pesquisadores em Enfermagem do CEPEn (Centro de Estudos e Pesquisas em Enfermagem), no site da ABEn (Associação Brasileira de Enfermagem); no Banco de Teses da CAPES; na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade de São Paulo; na Biblioteca da Universidade Federal de São Paulo; no Sistema de Bibliotecas da Unicamp; no Sistema Dedalus e no Google Acadêmico. Também foi realizada a busca manual nos periódicos nacionais de enfermagem indexados e a busca inversa a partir da bibliografia das publicações primárias localizadas.Para a seleção da produção científica foram considerados os artigos, dissertações e teses produzidos entre 2000 e 2006 e indexados nas diversas bases de dados com as palavras chaves ou descritores em saúde: úlcera por decúbito, úlcera da perna, úlcera do pé ou pé diabético, úlcera varicosa, bandagens e cicatrização de feridas. Os artigos incluídos foram os publicados em periódicos nacionais ou internacionais, em que a autoria principal era de enfermeiros brasileiros, em português, espanhol ou inglês. Foram incluídas as publicações localizadas até 30 de março de 2007.A seleção das publicações quanto aos critérios de inclusão foi feita pela leitura do título, dos resumos ou da publicação na íntegra. Todo material localizado para análise recebeu uma numeração de acordo com a ordem de localização da publicação. Para a coleta de dados das publicações foi utilizado um formulário norteador. As informações coletadas foram codificadas e digitadas em planilha eletrônica. Foi utilizado o processo de validação dos dados por meio de dupla digitação em planilhas do aplicativo Microsoft Excel. Posteriormente, foram transferidos para o Epi-Info versão 3.3.2.Resultados e DiscussãoO estudo constou de 105 publicações indexadas nas bases de dados pré-estabelecidas na metodologia (Tabela 1).Tabela01Das 105 publicações indexadas, 83 (79%)foram localizadas sendo categorizadas comodissertações (25,7%), teses (4,7%) e artigoscientíficos (48,6%). Desse total, 16 eram publicaçõesdo mesmo estudo na forma de tese ou dissertaçãoe artigos científicos. Foram excluídos 2 artigoscientíficos (1,9%) por não atenderem aos critériosdo estudo. Observa-se que não foi localizadanenhuma publicação na categoria monografia,assim como, 16 (15,2%) na categoria dissertaçãode mestrado. Foi tentado o contato com os autorespor e-mail, para a recuperação de 05 publicações,tendo obtido resposta positiva em duas (40%), como envio das mesmas. A estratégia de localizaçãopelo sistema de comutação bibliográfica entrebibliotecas (COMUT – USP) foi eficaz somentepara as publicações na forma de artigos científicos,já que para a obtenção das 19 teses/dissertaçõe sera necessário pagamento de fotocópias dapublicação e não havia recursos financeiros disponíveis.Sessenta e sete publicações foramrecuperadas para análise, consideradas assim aamostra deste estudo. Na tabela 2 sãoapresentados os dados quanto à indexação dessas publicações. A base de indexação LILACS, nesseestudo, foi a que apresentou maior freqüência depublicações (50,7%), seguida da base CINAHL(39,1%).Tabela02Quanto a divulgação dos 32 resumos deteses/dissertações que foram localizados, 25 (78%)estavam na Biblioteca virtual da CAPES, e 14(44%) nos anais do CEPEn. Destaca-se assim quea maior parte da produção foi localizada online,embora somente na forma de resumo. Entretantoao identificar o autor da publicação e o programade pós-graduação é possível fazer o contato porcorreio tradicional ou eletrônico o que facilita arecuperação da produção na íntegra principalmenteconsiderando o achado deste estudo que umpequeno número de teses e dissertações foipublicado no formato de artigo científico. Outraforma de localização do autor principal dapublicação é pelo contato com o orientador dapesquisa por meio do Currículo Lattes do CNPq.Na tabela 3 está apresentada a freqüênciade indexações das publicações nas bases de dados.Destaca-se que 34,32 % estão indexadas somente em uma base, o que significa que ao fazer umarevisão de literatura precisa ser feita a busca nomaior número possível de bases.Tabela03Na tabela 4 apresentamos o título doperiódico e o número de publicações em cada um.Observa-se que mais de 70% das publicações sobreo tema foram divulgadas em periódicosproduzidos por instituições ou editoras da regiãosudeste. Dos 24 periódicos, um é publicado noexterior (1,49%). Observa-se que 10 artigos forampublicados em 10 diferentes periódicos da área dasaúde ou multidisciplinares, o que é importante paradar visibilidade à produção científica dosenfermeiros. Lembramos que a pesquisaconsiderou somente os periódicos indexados embases de dados até março de 2007, razão da nãoinclusão da Revista Estima.Tabela04Considerando o processo de disseminaçãode um conhecimento ou informação, após a tese/dissertação estar concluida ou o artigo publicado,existem várias formas de acesso à produção. Na tabela 5 é apresentada a distribuição das formas ou fontes de localização encontradas no estudo.Tabela05Embora 32,85% das publicações tenham sido encontradas por meio da Internet com acessoaos periódicos disponíveis on-line ou pelo site de Teses da USP, as bibliotecas tradicionais das instituições de ensino ou os acervos de docentesforam os locais onde a maior parte das publicações foram localizadas. Ressalta-se que a coleta de dados deste estudo foi encerrada em março de 2007 eque após esta data, vários periódicos de enfermagem tornaram-se disponíveis no formatoeletrônico pelo Portal de Revistas de Enfermagem(http://www.por talbvsenf.eerp.usp.br/scielo.php#about.)Tabela06Do total de 67 publicações, foramidentificados 55 autores principais, sendo que 46autores (83,65%) apresentaram somente umapublicação no período estudado.Destaca-se novamente o grande número detrabalhos de autoria de enfermeiros com pósgraduação(83%), provavelmente em razão da qualificação obtida para a realização de trabalhos científicos e pelo próprio requisito dedesenvolvimento de trabalho científico para aobtenção do título. Quanto ao local de atuação profissional (Tabela 8), 47% eram docentes de cursode enfermagem de nível superior.Tabela07Tabela08Tabela09Observa-se que a UP foi o enfoque da maiorparte (44,77%) da produção realizada pelosenfermeiros no período estudado. O “pédiabético” foi também enfoque de grande atenção,com 22,24% das publicações. Embora a análisedo conteúdo e desenho metodológico daspublicações não sejam o foco deste artigo, oresultado encontrado no que concerne ao tipo deferida pode ser proveniente do cenário onde aspesquisas foram realizadas ou o local de atuaçãodos autores dos trabalhos. Como a maior partedos autores são docentes de enfermagem ouenfermeiros de hospitais, a escolha do problemade investigação foi provavelmente influenciada porquestões importantes do contexto do cotidiano daprática de enfermagem em ambulatórios ouunidades de internação de hospitais, que ainda é ocenário mais utilizado para ensino na graduação,ao invés de Unidades Básicas ou Distritais de Saúde6. Outro fator que pode ter influenciado omaior enfoque para estas duas áreas pode ser oreconhecimento pelos profissionais do papel do enfermeiro no manejo dessas duas condições e anecessidade premente de avaliar as condições deensino e prática para propor mudanças.ConclusãoOs enfermeiros podem influenciar ossistemas de ensino de novos profissionais e aeducação permanente, assim como os sistemas deprestação de serviços de saúde. A produção deum trabalho científico pode contribuir para a suacapacitação, pois envolve a busca e análise críticada literatura, assim como a proposição e realizaçãode uma investigação que permitirá o avanço do conhecimento. Entretanto, o conhecimentoproduzido só pode ser utilizado se for comunicadoe disseminado e todo o sistema social deenfermagem tem a sua parcela de responsabilida de para que isto aconteça.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Poletti NAA, Caliri MHL. Atenção a pacientes com feridas: evidências para a prática. São José do Rio Preto. 2003.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE . Cuidados inovadores para condições crônicas: componentes estruturais de ação: Relatório Mundial. Organização Mundial da Saúde. Brasília, 2003.

Rabeh SAN, Caliri MHL. Úlcera de pressão: estratégias para divulgação do conhecimento na literatura de enfermagem. Revista Paulista de Enfermagem. 2003; 22( 3): 307-14.

Rabeh SAN. Úlcera de pressão a clarificação do conceito e estratégias para divulgação do conhecimento na literatura de enfermagem. Dissertação (Mestrado) Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto- USP, 2001.

Caliri MHL. A utilização da pesquisa na prática de enfermagem limites e possibilidades. Tese (Livre-Docência) Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto- USP, 2002.

Pieper B, Caliri MHL. An international partnership: Impacting Wound Care in Brasil. Journal of Wound, Ostomy and Continence Nursing. 2002; 29(6): 287-94.

Apêndice

Relação das publicações que compõem a amostra da

pesquisa:

BORGES, E.L.; CHIANCA, T.C.M. Tratamento e cicatrização de feridas:parte I. Nursing, ano 03, n.21, p.24-29, fev. 2000.

BORGES, E.L.; CHIANCA, T.C.M. Tratamento e cicatrização de feridas:parte I. Nursing, ano 03, n.23, p. 25-29, abr 2000.

OLIVEIRA, B.G.R.B.; RODRIGUES, A.L.S. Cicatrização de feridas cirúrgicas e crônicas: um atendimento ambulatorial de enfermagem. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v.07, n.01, p.104-113, abr 2003.

FERNANDES, L.M.; CALIRI, M.H.L. Úlcera de pressão em pacientes críticos hospitalizados: uma revisão integrativa da literatura. Revista Paulista de Enfermagem, v.19, n.02, p.25-31, maio/ago 2000.

BARROS, S.K.S.A. et al. Aplicação de protocolo para prevenção de úlcera de pressão em unidade de terapia intensiva. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, Londrina, v.23, p.25-32, jan/dez 2002.

FERNANDES, L.M.; BRAZ, E. A utilização do óleo de girassol na prevenção de úlceras de pressão em pacientes críticos. Nursing, ano 05, n.44, p.29-34, jan 2002.

FERNANDES, L.M.; BRAZ, E. Avaliação do risco para o desenvolvimento de úlceras de pressão em pacientes internados em centro de terapia intensiva. Cogitare Enfermagem, v.07, n.01, p.17-22, jan/jun 2002.

NOGUEIRA, P.C.; CALIRI, M.H.L; SANTOS, C.B. Fatores de risco e medidas preventivas para úlcera de pressão no lesado medular. Experiência da equipe de enfermagem do HCFMRP-USP. Medicina, Ribeirão Preto, v.35, n.01, p.14-23, jan/mar 2002.

COSTA, J.N.; LOPES, M.V.O. Revisão sobre úlceras por pressão em portadores de lesão medular. Revista RENE, v.04, n.01, p.109-115, 2003.

RABEH, S.A.N.; CALIRI, M.H.L. Úlcera de pressão: estratégias para divulgação do conhecimento na literatura de enfermagem. Revista Paulista de Enfermagem, v.22, n.03, p. 307-314, set/dez 2003.

SOUSA, C.A.C.; SANTOS, I.; SILVA, L.D. Apropriação de concepções de Neuman e Braden na prevenção de úlceras de pressão. Revista de

Enfermagem UERJ, v.12, n.03, p.280-285, 2004.

CARDOSO, M.C.S.C; CALIRI, M.H.L.; HASS, V.J. Prevalência de úlceras de pressão em pacientes críticos internados em um Hospital Universitário. Revista Mineira de Enfermagem, v.08, n.02, p.316-320, abr/jun 2004.

GIARETTA, V.M.A; POSSO, M.B.S. Ulceras por pressão: determinação do tempo médio de sinais iniciais em idosos sadios na posição supina em colchão hospitalar com densidade 28. Arquivos médicos do ABC, v.30, n.01, p.39-43, jan/jun 2005.

CASTILHO, L.D; CALIRI, M.H.L. Úlcera de pressão e estado nutricional: revisão de literatura. Revista Brasileira de Enfermagem, v.58, n.05, p.597- 601, set/out 2005.

CARCINONI, M.; CALIRI, M.H.L; NASCIMENTO, M.S. Ocorrência de úlcera de pressão em indivíduos com lesão traumática de medula espinhal. Revista Mineira de Enfermagem, v.09, n.01, p.29-34, jan/mar 2005.

ROGENSKI, N.M.B.; SANTOS, V.L.C.G. Estudo sobre a incidência de úlceras de pressão em um hospital universitário. Revista Latino Americana de Enfermagem, v.13, n.04, p.474-480, jul/ago 2005.

PACE, A.E. et al. Fatores de risco para complicações em extremidades inferiores de pessoas com diabetes mellitus. Revista Brasileira de Enfermagem, v.55, n.05, p.514-521, set/out 2002.

ALVES, V.L.S. et al. Criação de um web site para enfermeiros sobre Pé Diabético. Acta Paulista de Enfermagem, v.19, n.01, p.56-61, 2006.

LAURINDO, M.C. et al. Conhecimento das pessoas diabéticas acerca dos cuidados com os pés. Arquivos ciências da Saúde, v.12, n.02, p.80-84, abr/ jun 2005.

YAMADA, B.F.A.; SANTOS, V.L.C.G. Quality of life individuals with chronic venous ulcer. Wounds, v.17, n.07, p.178-189, jul 2005.

BERSUSA, A.A.S.; LAGES, J.S. Integridade da pele prejudicada: identificando e diferenciando uma úlcera arterial e uma venosa. Ciências do cuidado a Saúde, v.03, n.01, p.81-92, jan/abr 2004.

LOUREIRO, M.F.F. et al. Ser diabético e vivenciar a amputação: a compreensão psico-fenomenológica. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, Rio de Janeiro, v.06, n.03, p.475-489, dez 2002.

NOVATO, D.A.; CARVALHO, D.V. Tratamento de feridas: uma contribuição ao ensino de enfermagem. Revista Mineira de Enfermagem, v.04, n.1/2, p.47-51, jan/dez 2000.

GOMES, F.S.L.; CARVALHO, D.V. Tratamento de ferida: revisão de literatura. Revista Mineira de Enfermagem, v.06, n.1/2, p.67-72, jan/dez 2002.

DECLAIR, V. Tratamento de úlceras crônicas de difícil cicatrização com ácido linoleico. Jornal Brasileiro de Medicina, v.82, n.06, p.36-41, jun 2002.

PEREIRA, A.L.; BACHION, M.M. Tratamento de feridas: análise da produção cientifica publicada na Revista Brasileira de Enfermagem de 1970-2003. Revista Brasileira de Enfermagem, v.58, n.02, p. 208-213, mar/ abr 2005.

FERREIRA, A.M. et al. Revisão de estudos clínicos de enfermagem: utilização de papaína para o tratamento de feridas. Revista Enfermagem UERJ, v.13, n.03, p.382-389, 2005.

RIBEIRO, M.A.S.; LOPES, M.H.B.M. Desenvolvimento, aplicação e avaliação de um curso à distância sobre tratamento de feridas. Revista Latino Americana de Enfermagem, v.14, n.01, p.77-84, jan/fev 2006.

NOGUEIRA, P.C.; CALIRI, M.H.L.; HAAS, V.J. Profile of patients with spinal cord injuries and occurrence of pressure ulcer at a university hospital. Revista Latino Americana de Enfermagem, v.14, n.03, p.372-377, mai/jun

BLANES, L. et al. Avaliação clínica e epidemiológica das úlceras por pressão em pacientes internados no hospital São Paulo. Revista Associação Méd. Brasileira, v.50, n.02, p.182-187, 2004.

SANTOS, V.L.C.G. et al. Adaptação transcultural do pressure ulcer scale for healing (PUSH) para a língua portuguesa. Revista Latino Americana de Enfermagem, v.13, n.03, p.305-313, mai/jun 2005.

BAJAY, H.M.; ARAUJO, I.E.M. Registro da evolução de feridas: elaboração de um instrumento. Revista Gaúcha de Enfermagem, Porto Alegre, v.24, n.02, p.196-208, ago 2003.

BARBUI, E.C; COCCO, M.I.M. Conhecimento do cliente diabético em relação aos cuidados com os pés. Revista Escola de Enfermagem da USP, v.36, n.01, p.97-103, 2002.

COSSON, I.C.O.; NEY-OLIVEIRA, F.; ADAN, L.F. Avaliação do conhecimento de medidas preventivas do pé diabético em pacientes de

Rio Branco, Acre. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia, v.49, n.04, p.548-556, ago 2005.

RABEH, S.A..N.; CALIRI, M.H.L. Prevention and management of pressure

ulcer: nursing student´s practices. Revista Paulista de Enfermagem, v.21.,

n.02, p.133-139, mai/ago 2002.

SOUZA, D.M.S.T. Prevalence of the pressure ulcer in hospitalized patients. Enfermagem Atual, ano04, n.22, p.21-26, 2004.

COSTA, I.G.; CALIRI, M.H.L. Incidence and risks factors of pressure ulcer in na intensive care unit of na university hospital. Revista Paulista de Enfermagem, v.23, n.3/4, p.202-207, 2005.

RANGEL, E.M.L.; CALIRI, M.H.L. Conhecimento de enfermeiros de um hospital geral sobre a prevenção e avaliação da úlcera de pressão. Revista Paulista de Enfermagem, v.23, n.02, p.123-129, 2004.

BRUNI, D.S. et al. Physiopathological aspects and nursing care on reabilitation of patients with spinal cord injury. Revista Escola de Enfermagem USP, v.38, n.01, p.71-79, 2004.

COSTA, J.N.; OLIVEIRA, M.V. Fenômenos de enfermagem em portadores de lesão medular e o desenvolvimento de úlceras por pressão. Revista Enfermagem UERJ, v.13, n.03, p.367-373, 2005.

SILVA, L.D.; PAZOS, A.L. A influência da dor na qualidade de vida do paciente com lesão crônica de pele. Revista de Enfermagem UERJ, v.13, n.03, p.375-381, 2005.

NASCIMENTO, L.M.O. et al. Diabetes feet evaluation: a study of university hospital patients. Texto e Contexto Enfermagem, v.13, n.01, p.63-73, 2004.

MAIA, T.F.; SILVA, L.F. O pé diabético de clientes e seu autocuidado: a enfermagem na educação em saúde. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, v.09, n.01, p.95-102, abr 2005.

OCHOA, K.V.; PACE, A.E. Diabetic foot: strategies for prevention. Acta Paulista de Enfermagem, v.18, n.01, p.100-109, 2005.

PAGLIUCA, L.M.F.; ARAUJO, T.L.; ARAGÃO, A.E.A. Pessoa com amputação e acesso ao serviço de saúde: cuidado de enfermagem fundamentado em Roy. Revista de Enfermagem UERJ, v.14, n.01, p.100- 106, jan/amr 2006.

FERREIRA, A.M.; SANTOS, I. Buscando evidencias para o cuidado de enfermagem a clientes com feridas infectadas. Revista Enfermagem UERJ, v.11, n.01, p.85-91, 2003.

BASSOLI, S.R.B; GUIMARAES, H.C.Q.C.P. Wound care: nursing activities in the assistance practice, compared to the activities proposed by the nursing. Revista Paulista de Enfermagem, v.23, n.02, p.108-113, 2004.

DA SILVA, S.S.; CREUTZBERG, M. Self-care practices of elderly patients with stasis ulcer. Enfermagem Atual, ano 05, n.28, p.22-27, 2005.

LACERDA, E.P. et al. Atuação da enfermagem no tratamento com oxigenoterapia hiperbárica. Revista Latino Americana de Enfermagem, v.14, n.01, p.118-123, jan/fev 2006.

LEITE, V.B.E.; FARO, A.C.M. Identificação de fatores associados as ulceras por pressão em indivíduos paraplégicos relacionados as atividades

de lazer. Acta Fisiatrica, v.13, n.01, p.21-25, mar 2006.

TUYAMA, L.Y. et al. Feridas crônicas de membros inferiores: proposta de sistematização da assistência de enfermagem a nível ambulatorial. Nursing São Paulo, v.75, n.07, p.46-50, 2004.

SILVA, J.L.A.; LOPES, M.J.M. Educação em saúde a portadores de úlcera venosa através de atividades de grupo. Revista Gaúcha de Enfermagem, v.27, n.02, p.240-250, 2006. Teses/ dissertações localizadas:

SILVA, S.C. Ocorrências iatrogênicas em unidade de terapia intensiva: impacto na gravidade do paciente e na carga de trabalho de enfermagem. Tese (EEUSP), 2003, 110p.

POLETTI, N.A.A. O cuidado de enfermagem a pacientes com feridas crônicas: a busca de evidencias para a prática. Dissertação (EERP-USP), 2000, 269p.

BAPTISTA, C.M.C. Levantamento do custo direto do procedimento com bota de unna em pacientes com ulcera venosa. Dissertação (EEUSP),

, 91p.

ROCHA, A.B.L. Tradução para a língua portuguesa, adaptação transcultural e aplicação clínica da escala de Waterlow para avaliação de risco de desenvolvimento de úlcera de decúbito. Dissertação (UNIFESP), 2003, 83p.

BORGES, E.L. Tratamento de feridas: avaliação de um protocolo. Dissertação (UFMG), 2000, 159p.

GOMES, F.S.L. Tratamento de feridas crônicas com coberturas oclusivas: alteração qualitativa da microbiota. Dissertação (UFMG), 2001, 142p.

URSI, E.S. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. Dissertação (EERP-USP), 2005.

KARINO, M.E. Identificação de risco para complicações em pés de trabalhadores com diabetes de uma instituição pública da cidade de Londrina. Dissertação (EERP-USP), 2004, 90p.

BORGES, E.L. Tratamento tópico de úlcera venosa: proposta de uma diretriz baseada em evidências. Tese (EERP-USP), 2005.

CALIRI, M.H.C. A utilização da pesquisa na prática clínica de enfermagem: limites e possibilidades. Livre-docência (EERP-USP), 2002.

OCHOA, K.V. Prevenção de complicações nos pés de pessoas com diabetes mellitus: uma abordagem baseada em evidências. Tese (EERP-USP), 2005.

SCAPIM, E.P. Perfil dos pacientes com diabetes mellitus que possuem úlcera nos pés, atendidos em unidade ambulatorial da cidade de Marília-

SP. Dissertação (EERP-USP), 2004, 128p.

ROCHA, R.M. Pé diabético: fatores comportamentais para a suprevenção. Tese (EERP-USP), 2005, 160p

ROCHA, R.M. Riscos de ulceração nos pés: perfil de um grupo de

diabéticos do tipo 2. Dissertação (UFBA), 2001, 130p.

PETROLINO, H.M.B.S. Úlcera de pressão em pacientes de unidade de terapia intensiva: incidência, avaliação de risco e medidas de prevenção.

Dissertação (EEUSP), 2002, 118p.

OLIVEIRA, A.S. Uso de PVP-I tópico em feridas agudas e crônicas: revisão sistemática da literatura. Dissertação (EEUSP), 2004, 101p.

Published

2016-03-23

How to Cite

1.
Caliri MHL, Martins GP. Artigo Original 1. ESTIMA [Internet]. 2016Mar.23 [cited 2021Jan.27];6(1). Available from: https://www.revistaestima.com.br/estima/article/view/40

Issue

Section

Article

Most read articles by the same author(s)

1 2 > >>