Revisão - Características Sócio-Demográficas e Clínicas de Pessoas Estomizadas: Revisão de Literatura

Authors

  • Regina Ribeiro Cunha Enfermeira Estomaterapeuta (Ti SOBEST). Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta da Escola de Enfermagem Magalhães Barata da Universidade do Estado do Pará (UEPA), e da Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal do Pará (UFPA). Membro dos Grupos de Pesquisa: Estudo de Políticas em Saúde no Cuidado de Enfermagem Amazônico (EPOTENA/UFPA) e Educação em Enfermagem e Saúde (EDEN/UFSC). Linha de Pesquisa: Enfermagem em Estomaterapia da Amazônia (ENFESTA/UFPA). Belém, PA, Brasil.
  • Arthur Brandão Ferreira Graduando do Curso de Enfermagem da Universidade Federal do Pará. Bolsista PIBIC/PARD/UFPA. Membro do Grupo de Pesquisa Estudo de Políticas em Saúde no Cuidado de Enfermagem Amazônico (EPOTENA/UFPA). Linha de Pesquisa: Enfermagem em Estomaterapia da Amazônia (ENFESTA/UFPA). Belém, PA, Brasil.
  • Vânia Marli Schubert Backes Doutora em Enfermagem. Professora Associada da Universidade Federal de Santa Catarina. Bols

Abstract

Resumo

O presente estudo é uma revisão da literatura, seguindo a metodologia proposta por Ganong, que teve como objetivo identificar e analisar as características sócio-demográficas e clínicas de pessoas estomizadas nas publicações dos últimos dez anos. Para a coleta de dados utilizaram-se a base de dados LILACS e a Revista Estima, pelo interesse em conhecer dados da América Latina, com ênfase no Brasil. A amostra deste estudo constituiu-se de seis artigos publicados no período de 2002 a 2012. Da análise emergiram dois temas: Características sócio-demográficas das pessoas estomizadas e Características clínicas das pessoas estomizadas. Algumas características sócio-demográficas e clínicas convergem com a literatura internacional, contudo o baixo registro das mesmas indica a urgência de traçar o perfil epidemiológico dos estomizados no Brasil, contribuindo para elaboração de ações educativas a partir das características dessa população.Descritores:Estomas Cirúrgicos. Características da População. Perfil de Saúde.AbstractThe present study is a literature review conducted according to the methodology proposed by Ganong, with the objective of identifying and evaluating sociodemographic and clinical characteristics of ostomy patients reported in scientific journals published in the past ten years. The LILACS database and Revista Estima were searched due to the interest in collecting data from Latin American studies, especially from Brazil. Six articles published between 2002 and 2012 were retrieved. Two themes emerged from the analysis: sociodemographic characteristics and clinical characteristics of ostomy patients. Some of the sociodemographic and clinical characteristics are in agreement with the international literature, but the fact that there are so few publications on the subject indicates the urgency to document the epidemiological profile of ostomy patients in Brazil, thereby contributing to the development of educational interventions based on the characteristics of this population.Descriptors: Surgical Stomas. Population Characteristics. Health Profile.ResumenEl presente estudio es una revisión de la literatura, siguiendo la metodología propuesta por Ganong, que tuvo como objetivo identificar y analizar las características sociodemográficas y clínicas de las personas ostomizadas. Para la recolección de datos se utilizaron las bases de datos LILACS y la Revista Estima, por el interés en conocer datos de América Latina, con énfasis en Brasil. La muestra de este estudio estuvo conformada por seis artículos publicados entre 2002 y 2012. A partir del análisis surgieron dos temas: características sociodemográficas y características clínicas de las personas ostomizadas. Algunas características sociodemográficas y clínicas coinciden con la literatura internacional, mas a pesar de todo ello, el bajo registro de las mismas indica la urgencia de trazar el perfil epidemiológico de los ostomizados en Brasil contribuyendo para la elaboración de acciones educativas a partir de las características de esa población.Palabras clave: Estomas Quirúrgicos. Características de la Población. Perfil de Salud.IntroduçãoA estimativa e publicação de indicadores que retratem o perfil de saúde da população humana constituem uma importante ferramenta a ser utilizada nos diversos segmentos da área de saúde, administração, educação e sociedade em geral. A viabilidade e a utilização de dados fornecem o conhecimento necessário à elaboração de indicadores de saúde e doenças 1. Os sistemas de informação configuram-se como alicerce para a implementação das ações de saúde em âmbito nacional. Nesse contexto, retratar a realidade de um determinado grupo social e, para efeito deste texto de pessoas estomizadas, constitui uma deficiência de registros e informações acerca dos dados epidemiológicos das estomias. Provavelmente o fato de a estomia ser realizada com vistas a diminuir a morbimortalidade após a intervenção cirúrgica, e não propriamente a causa de uma determinada doença ou mesmo seu diagnóstico, pode constituir um dos fatores que dificultam seus registros nos sistemas de informação 2. As estimativas referentes ao número de pessoas estomizadas no país, divulgados pelo Ministério da Saúde e boletins informativos das entidades nacionais e internacionais que congregam essas pessoas, ainda não refletem a realidade nacional 2. A produção científica em referência aos estomas cirúrgicos pauta-se em seu diagnóstico e suas respectivas causas, sendo a neoplasia a maior responsável pela confecção desse tipo de estomia 2. Essas considerações apontam para uma elevada fragilidade sobre os dados estatísticos desse usuário nos sistemas de informação dos serviços de saúde. As informações que expressam dados fidedignos acerca de usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) são fundamentais à revelação do panorama situacional da população contribuindo diretamente à elaboração de estratégias e ações que visam à melhoria da atenção à saúde das pessoas. Considerando-se essa problemática, vale investigar a produção científica na literatura latinoamericana que trata das características sóciodemográficas e clínicas de pessoas estomizadas, possibilitando a ampliação do conhecimento dessa temática e, consequentemente, permitindo correlacionar os achados com a realidade desse grupo social no estado do Pará, informação primordial a qualquer proposta de ação à saúde dessa população. A questão elaborada para esta investigação foi: quais as características sóciodemográficas e clínicas de pessoas estomizadas, presentes na literatura latino-americana mais recente?ObjetivoEste estudo teve como objetivo identificar as características sócio-demográficas e clínicas de pessoas estomizadas, em periódicos científicos nos últimos dez anos.MétodosTrata-se de uma revisão da literatura constituída dos seguintes procedimentos: a) elaboração da questão de pesquisa; b) seleção dos estudos para compor a amostra; c) categorização dos estudos; d) análise dos estudos; e) discussão e interpretação dos resultados; f) socialização da revisão, culminando na síntese do conhecimento 3. Tendo como base o conceito de revisão integrativa da literatura, utilizou-se estratégia similar para possibilitar a identificação e análise de provas existentes na prática dos cuidados de saúde quando o corpo de conhecimentos científicos não é suficientemente estabelecido3,4. O rastreamento de conhecimento produzido acerca de um determinado assunto contribui para o processo de análise e síntese dos resultados de estudos independentes, onde as informações são categorizadas sistematicamente. A revisão do tipo integrativa disponibiliza ao pesquisador uma visão macro da literatura produzida e divulgada, além de conhecimento de seus respectivos autores, formação, temas abordados, delineamento e resultados dos estudos. A partir da síntese elaborada, possibilita a obtenção de conclusões sobre um determinado tema 5,6. A coleta de dados foi realizada de janeiro a julho de 2012, por meio de consulta bibliográfica computadorizada na base de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e na Revista Estima (RE), veículo oficial de publicação da Associação Brasileira de Estomaterapia: estomias, feridas e incontinências – SOBEST. A escolha da base justifica-se pelo interesse em conhecer dados da América Latina. Para a seleção da produção científica foram estabelecidos os seguintes critérios de inclusão: artigos publicados em periódicos indexados na base LILACS, disponíveis na forma de resumo e com texto completo, em português, espanhol ou inglês, produzidos entre julho de 2002 a julho de 2012. Para a RE, buscaram-se os artigos disponíveis online para assinantes e que atenderam os mesmos critérios anteriormente descritos (exceto quanto à indexação, uma vez que a RE não está indexada na base LILACS). Para a busca na base de dados LILACS foram utilizados os seguintes descritores exatos em ciências da saúde (DeCS): Estomia, Perfil de Saúde e Características da População. Para a busca na RE, foram investigados todos os artigos que tratavam do tema do presente estudo, a partir de 2003, quando a revista teve seu primeiro número editado, a 2012. Não houve critérios de exclusão, exceto os espelhos dos de inclusão. Os estudos identificados na base LILACS foram submetidos à leitura do título e do resumo pelos pesquisadores para a seleção de obras pertinentes ao objetivo deste estudo. O agrupamento dos descritores foi feito da seguinte forma: estomia e perfil de saúde, estomia e características da população. Os artigos encontrados foram numerados em ordem cronológica de publicação, lidos na íntegra e avaliados pelos pesquisadores visando a extrair informações de interesse ao estudo. Esta etapa teve por objetivo avaliar a qualidade metodológica dos estudos e extrair as respostas sobre características sóciodemográficas e clínicas de pessoas estomizadas. Para viabilizar o registro e análise dos dados foi elaborada uma planilha, a partir do instrumento de coleta validado em estudo nacional 5, contendo os seguintes dados: nome da revista, classificação Qualis (adotado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES), ano de publicação, tipo de artigo, formação dos autores, título do artigo, objetivo do estudo, métodos e resultados. Os resultados foram analisados de forma descritiva.Resultados e DiscussãoForam identificados 139 artigos, na base de dados LILACS, dos quais somente 36 textos completos; desses 33 foram excluídos do estudo por não atenderem aos critérios estabelecidos. Na RE foram identificados e selecionados apenas três artigos. Desta forma, totalizou-se amostra final de seis artigos nesta revisão (Quadro 1).  O periódico que publicou o maior número de artigos sobre o tema em estudo, foi a Revista Estima com metade (3) dos artigos. Esse fato se explica por se tratar de um periódico específico na área da Estomaterapia, veículo oficial de publicação da Associação Brasileira de Estomaterapia: estomias, feridas e incontinências (SOBEST).A Estomaterapia, desde 1980, é uma especialidade de enfermagem, ao nível de pósgraduação latu sensu, voltada para o cuidado de pessoas com estomias, feridas agudas e crônicas, fístulas, drenos, cateteres e incontinências anal e urinária 7.Observou-se a média de uma publicação por ano, a partir de 2005, referente ao tema. O panorama das publicações possibilitou a caracterização geral dos estudos selecionados. Os seis artigos analisados resultam de pesquisas cujo objetivo principal foi investigar o perfil de pessoas estomizadas. Quanto à formação dos autores, constatou-se que a maioria foi composta por Enfermeiros. A abordagem dos estudos foi quantitativa, com quatro deles realizados em ambulatórios e dois em ambiente hospitalar.Dos resultados analisados emergiram duas categorias de análise: Categoria 1- características sóciodemográficas das pessoas estomizadas: sexo, idade, escolaridade, ocupação; retorno ao trabalho, estado civil e renda e Categoria 2- características clínicas das pessoas estomizadas: causa básica da estomia, tipo, caráter e diâmetro da estomia e tempo de estomizado.Categoria 1 - Características sócio-demográficas das pessoas estomizadasNa análise da variável sexo houve o predomínio das mulheres em quatro artigos 8-11. Somente em dois dos demais artigos 12,13 houve o predomínio da população masculina, indo ao encontro de outros resultados de estudos brasileiros 2,14-16. Na América Latina, o câncer colorretal é o quarto tipo mais frequente de neoplasia no sexo masculino e o terceiro no sexo feminino 17, justificando em parte esses achados.Quanto à idade, predominou a faixa etária acima da quinta década de vida em cinco dos artigos analisados 8-11,13. Em um artigo, a faixa etária foi inferior a 50 anos, cuja amostra foi constituída por crianças e adolescentes 12. Outros estudos 2,14-16 mostraram faixa etária similar, corroborando a incidência de neoplasias em pessoas com idade acima de 50 anos, que se apresenta como fator associado à ocorrência de câncer colorretal.A escolaridade foi investigada em três artigos 8,10,12 prevalecendo o ensino fundamental incompleto. Resultado semelhante foi obtido em estudo pessoal15, no Pará, onde 49,31% corresponderam ao quantitativo de usuários que tem ensino fundamental. A baixa escolaridade obtida nos diferentes estudos nacionais está relacionada à idade da população estudada. Pode-se também pensar que esses estudos foram realizados principalmente em instituições públicas, retratando a realidade dessa clientela.Ao tratar da ocupação, novamente apenas dois artigos 10,11 investigaram esse dado, mostrando ausência de atividade laboral (aposentados, do lar e desempregados) ou atividades do campo (lavradores). Com referência ao retorno ao trabalho, em todos os artigos este dado não estava disponível. Estudo 14 revela que 20 a 72% dos estomizados que sobreviveram ao câncer colorretal reassumem seu trabalho.Para o estado civil, houve predomínio da categoria casado, excetuando-se um dos artigos 11 cuja população foi constituída por crianças e adolescentes. Em estudos internacionais, a maioria dos constituintes da amostra é casada 14.Com referência à renda, três artigos mostraram que os estomizados recebem de um a dois salários mínimos 8-10. Em outro estudo 18, os autores constataram que 54,08% e 27,81% dos estomizados possuem renda mediana de R$1.200,00 e R$517,81 respectivamente, correspondendo a cerca de dois e menos de um salário mínimo vigente atualmente no país.Categoria 2 - Características clínicas das pessoas estomizadasTodos os artigos investigaram a causa básica da estomia. Em cinco deles, houve o predomínio das neoplasias colorretais 8-11,13. Em um artigo a causa congênita justificou-se em virtude da população do estudo ser constituída por crianças e adolescentes12. O aumento da expectativa de vida está ocasionando o envelhecimento da população,com aumento da incidência e prevalência de doenças crônicas como o câncer 19. Dentre outras importantes causas para a realização de uma cirurgia geradora de estomia estão as doenças inflamatórias do cólon como retocolite ulcerativa crônica e doença de Crohn; além dessas, verificam-se algumas condições hereditárias como a polipose adenomatosa familiar e o câncer colorretal hereditário sem polipose. As estomias intestinais temporárias ou permanentes são rotineiramente realizadas no tratamento de carcinoma retal e anal distal. Outras situações como as doenças inflamatórias do cólon como, as condições hereditárias, a fístula anorretal, a incontinência anal, as lesões traumáticas,a sepse pélvica e a retite actínica podem demandar uma derivação intestinal ou urinária 20.Em quase todas as publicações analisadas, a colostomia foi o tipo predominante. Somente em um dos artigos 12, o tipo de estomia mais prevalente foi a gastrostomia, em função da amostra ser constituída de crianças e adolescentes. O câncer colorretal constitui a principal causa geradora de estomias e isso pode justificar o maior índice de estomias do tipo colostomias. A realização de uma estomia está diretamente ligada ao tipo de intervenção cirúrgica indicada para o tratamento da doença de base 21. O envelhecimento da população já é realidade em países em desenvolvimento como o Brasil e sabe-se que a incidência e a mortalidade do câncer colorretal aumenta progressivamente com o avançar da idade 22.Com relação ao caráter da estomia, cinco artigos apresentaram essa variável, sendo definitivo o estoma em quatro deles8-11; um dos artigos mostrou indefinição, provavelmente por se tratar de crianças e adolescentes com distintas etiologias12. A informação sobre o caráter temporário ou permanente da estomia é fundamental ao planejamento das ações educativas da pessoa estomizada e família bem como para o planejamento de políticas de saúde a essa clientela.O diâmetro da estomia implica em um dado fundamental para uma boa assistência ao estomizado, uma vez que é uma das características necessárias para a boa seleção do equipamento coletor, possibilitando a adaptação da base adesiva de barreira cutânea ao estoma, prevenindo lesões de pele periestoma e, consequentemente, maior conforto da pessoa estomizada. Essa variável foi investigada somente em um artigo 10, o qual mostrou que 67,9% da amostra investigada possuíam o diâmetro de sua estomia entre 20 a 39 mm.Em referência ao tempo de estomizado, um artigo revelou que 60,51% da população estudada possuíam a estomia com o tempo inferior a dois anos10. Estima-se que cada pessoa estomizada necessita de um período de tempo diferenciado. Na fase de reabilitação, o processo educativo, fundamentado numa relação dialógica, poderá influenciar na adaptação de comportamentos com vistas ao ajustamento à doença e ao tratamento, dependendo da avaliação precisa das demandas das pessoas estomizadas23. O tempo de adaptação após a cirurgia é peculiar a cada pessoa estomizada.Considerações finais Este estudo objetivou identificar as características sócio-demográficas e clínicas de pessoas estomizadas mostradas em periódicos científicos latino-americanos, nos últimos dez anos. A amostra final foi constituída de apenas seis artigos. A Revista Estima foi o periódico que publicou metade desses artigos. Quanto às características dos estudos, a maioria (5) foi publicada por enfermeiros, a abordagem foi quantitativa e foram realizados com pacientes ambulatoriais (4). Mulheres, baixa escolaridade, idade superior a 50 anos e pessoas sem ocupação no momento da coleta de dados predominaram entre as características demográficas. Clinicamente, o câncer colorretal e a colostomia definitiva prevaleceram entre as características clínicas.O perfil sócio-demográfico e clínico permite um melhor conhecimento da população estudada, contribui para o gerenciamento de cuidados bem como para a atuação sobre as morbidades e a mortalidade. Ademais, colabora para a implementação de ações, visando ao trabalho conjunto entre o Ministério da Saúde, Ministério da Ciência e Tecnologia e Ministério da Educação, em prol de saúde compatível com uma vida digna e saudável.Os estudos produzidos até o momento não possibilitaram avaliar com profundidade as características sócio-demográficas e clínicas de pessoas estomizadas. Mostra-se necessária a realização de estudo principalmente nacional, mais abrangente especialmente nos municípios considerados com informações incipientes.Agradecimento: Os autores agradecem à Profa Dra Vera Lúcia Conceição de Gouveia Santos as sugestões importantes que deu à versão original deste artigo.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Bittar OJNV. Inúmeros números do planejamento de saúde. RAS 2005;7(28):79-94.

Santos VLCG. Cuidando do estomizado: análise da trajetória no ensino, pesquisa e extensão. [tese de livre docencia]. São Paulo: Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo; 2006.

Ganong LH. Integrative reviews of nursing research. Research in Nursing & Health 1987; 10(1):1-11.

Beyea S, Nichll LH. Writing an integrative review. AORN J. 1998;67(4):877-84.

Ursi ES. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. [dissertação]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 2005.

Silveira CS. A pesquisa em enfermagem oncológica no Brasil: uma revisão integrativa de literatura. [dissertação]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 2005. 7. Boccara de Paula MA, Santos VLCG. O significado de ser especialista para o enfermeiro estomaterapeuta. Rev Latino-Am. Enfermagem 2003;11(4):474-82.

Macêdo MS, Nogueira LT, Luz MHBA. Perfil dos estomizados atendidos em hospital de referência em Teresina. Rev Estima 2005;3(4):25-28.

Moraes JT1, Victor DR, Abdo JR, Santos MC, Perdigão MM. Caracterização dos estomizados atendidos pela Secretaria Municipal de Saúde de Divinópolis-MG. Rev Estima. 2009;7(3): 31-37.

Silva ACS, Silva GNS, Cunha RR. Caracterização de pessoas estomizadas atendidas em consulta de enfermagem do Serviço de Estomaterapia do Município de Belém-PA. Rev Estima 2012;10(1):12- 19

Stumm EMF, Oliveira ERA, Kirchner RM. Perfil de pacientes ostomizados. Scientia Medica 2008; (18):26-30.

Guerrero GS, Tobos LS. Quién son los usuarios del Programa Cuidado Integral al Niño y al adolescente ostomizado? Rev Avances en Enfermería 2005;XXIII(2):18-27.

Santos CHMS,Bezerra MM, Bezerra FMM, Paraguassú BR. Perfil do paciente ostomizado e complicações relacionadas ao estoma. Rev Bras Colo-proctol. 2007;27(1):.

Michelone APC, Santos VLCG. Qualidade de vida de adultos com câncer colorretal com e sem ostomia. Rev Latino-am Enfermagem 2004;12(6):875-83.

Cunha RR, Vaitsman J. Necessidades e demandas de estomizados ao sistema de saúde pública no Pará. In: Bragança M, Polaro S, Lima V, organizadores. Realidade amazônica: recortes da enfermagem do Pará. Belém: Florianópolis: UFPA: UFSC; 2006.

Pi Chilida MS, Santos AH, Calvo AMB, Bello BEC, Alves DA, Guerino, MI. Complicações mais frequentes em pacientes atendidos em um pólo de atendimento ao paciente com estoma no interior de São Paulo. Rev Estima 2007;5(4):31-36.

Goss PE, Lee BL, Badovinac-Crnjevic T, Strasser-Weippl K, Chavarri-Guerra Y, St Louis J et al. Planning cancer control in Latin America and the Caribbean. Lancet Oncol. 2013;5(14): 391-436. [Internet]. 2013 Apr 26 [acesso em 2013 Jun 20]. Disponível em: www.thelancet.com/oncology

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Ostomizados recebem atenção especial no município. Rio de Janeiro, 2004. [Internet]. [acesso em 2012 Set 17]. Disponível em: http:// www. a rma z e m d e d a d o s. r i o. r j . g ov. b r / a rq u i vo s / 21_ostomizados%20recebem%20aten%C3%A7%C3%A3o%20especial.PDF.

Esteves APVS, Rosa AHV, Almeida EP, Padrão G. Ambulatório de assistência aos ostomizados: novos rumos e possibilidades terapêuticas. [Internet]. 2011 Jun 01 [acesso em 2012 Set 02]. Disponível em: http://www.abeneventos.com.br/16senpe/ senpe-trabalhos/files/0149.pdf .

Abbas MA, Tejirian T. Laparoscopic stoma formation. JSLS 2008;12(2):159–161.

Crema E, Silva R. Estomas: uma abordagem interdisciplinar. Uberaba: Pinti; 1997.

Fonseca LM, Hanan B, Neiva AM, Silva RG. Tratamento do câncer colorretal em idosos extremos: relato de caso e revisão da literatura. Rev Bras Colo-proctol. [serial on the Internet]. 2010 Dec [cited 2013 Set 03]; 30(4): 444-449. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101- 98802010000400009&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/ S0101-98802010000400009.

Santos VLCG, Cesaretti IUR. Assistência em estomaterapia: cuidando do estomizado. São Paulo: Atheneu; 2000.

Published

2013-06-01

How to Cite

1.
Cunha RR, Ferreira AB, Backes VMS. Revisão - Características Sócio-Demográficas e Clínicas de Pessoas Estomizadas: Revisão de Literatura. ESTIMA [Internet]. 2013 Jun. 1 [cited 2024 Apr. 14];11(2). Available from: https://www.revistaestima.com.br/estima/article/view/327

Issue

Section

Article

Most read articles by the same author(s)