Atualização 2

Beatriz Farias Alves Yamada, Vera Lucia Conceição de Gouveia Santos


Instrumento Para Avaliação de Qualidade de Vida de Pessoas com Feridas no Brasil
A specific tool to evaluate quality of life of people with wounds in Brazil

Resumo
O objetivo deste artigo é apresentar os domínios e escores do Índice de Qualidade de Vida de Ferrans Powers – Versão Feridas (IQVFP-VH) à comunidade de profissionais da saúde envolvidos especificamente com a assistência às pessoas com feridas agudas e crônicas. Desenvolvido por duas autoras brasileiras, trata-se do único instrumento específico para a avaliação da qualidade de vida dessas pessoas em nosso país.
Descritores: Qualidade de vida. Tradução (Processo). Úlcera da Perna.
Abstract
This article aimed to present the Ferrans & Powers Quality of Life Index – Wound Version (FPQOL-WV) domains and scores to health care professionals involved with acute and chronic wound care. Developed by two Brazilian researchers, this is the unique specific tool to assess and analyze quality of life of people with wounds in Brazil.
Descriptors: Quality of Life. Translating. Leg ulcer.
Introdução
A avaliação de qualidade de vida (QV) tem sido largamente utilizada na área da saúde, por meio de instrumentos genéricos ou específicos, relacionados à saúde ou não. Mas, até 2006, não existia um instrumento que pudesse ser aplicado em pessoas com feridas de qualquer etiologia. Diante dessa lacuna, Yamada, Santos1,2, seguindo um processo acurado de desenvolvimento de instrumentos de medida, desenvolveram uma versão específica para essa população, denominado Índice de Qualidade de Vida de Ferrans & Powers - versão feridas (IQVFP-VF), a partir de sua versão genérica, traduzido e validado para a língua portuguesa3.
Os estudos resultantes dessa pesquisa já tiveram seus resumos apresentados e publicados na International Society for Quality of Life Research (ISOQOL)4 como apresentação oral; em sessão pôster, nos eventos da Asssociation for the Advancement of Wound Care (AAWC) e World Union of Wound Healing Societies (WUWHS) e sessão oral durante o congresso da Associação Brasileira de Estomaterapia (SOBEST). O resumo principal e um artigo de atualização estão publicados na Revista Estima5,6.
A sua primeira utilização em pesquisa após sua construção foi em uma dissertação de mestrado7. Além disso, há outras pesquisas em andamento em pessoas com feridas assistidos em regime ambulatorial, sendo um deles específico para feridas decorrentes de anemia falciforme8. Processo de adaptação cultural e validação estão sendo realizados para o castelhano, na Espanha9. E, pretende-se realizar o mesmo para a língua inglesa. Tese de doutoramento está sendo conduzida na Universidade de São Paulo, para testar a responsividade do instrumento. Além disso, os autores desenvolverão a sua versão abreviada, especialmente para ser usada na prática clínica.
O IQVFP-VF possui 35 itens - apenas 34 devem ser respondidos - em cada uma de suas duas partes1,2. A primeira parte refere-se à satisfação e a segunda à importância atribuída aos mesmos itens. As respostas variam, numa escala tipo Likert (1-6), de muito insatisfeito a muito satisfeito e sem nenhuma importância a muito importante. Os domínios componentes do instrumento são saúde e funcionamento (SF), socioeconômico (SE), psicológico/espiritual (PE) e família (Fa)10. Os itens pertencentes a cada domínio estão exibidos no Quadro I.
quadro
Com relação aos escores, esses variam de zero (pior) a trinta (melhor QV), e o instrumento permite obter cinco escores distintos (QV geral e domínios)10, além de escore para cada item1.
Para processar o cálculo dos escores, primeiramente, recodificam-se as respostas dos itens da parte de satisfação (1; 2; 3; 4; 5; 6), subtraindo-se 3,5 de cada resposta, obtendo-se, assim, nova pontuação: -2,5; -1,5; -0,5; +0,5; +1,5 e +2,5. Essas novas pontuações são multiplicadas pelo valor da resposta literal atribuída ao mesmo item na parte de importância, somando-se 15. Dessa maneira, obtém-se um valor único em cada item respondido1,9. O escore total é produzido por intermédio da somatória de todos esses valores, dividido pelo total de itens respondidos. Usa-se a mesma regra para cada um dos domínios9. do preenchimento da planilha, para o cálculo dos escores, tanto na parte de satisfação quanto de importância, esse item deve ser pareado em outra coluna, tornando-se um único item, denominado filhos/não ter filhos. Isso é feito simplesmente transpondo os valores respondidos em um dos itens (Quando II).
Apesar de o instrumento mostrar-se válido e confiável no estudo original1-2, as autoras ainda não recomendam sua aplicação em pacientes com feridas decorrentes de queimaduras de grau III, feridas neoplásicas malignas e feridas em pessoas com câncer e SIDA, populações não incluídas nessas análises, sem que previamente seja realizado estudo de validade e confiabilidade.
quadro

References


Yamada BFA. Índice de Qualidade de Vida de Ferrans e Powers: construção e validação da versão feridas. [Tese]. São Paulo(SP): Universidade de São Paulo; 2006.

Yamada BFA, Santos VLCG. Construção e validação do Índice de Qualidade de Vida de Ferrans & Powers: versão feridas. Rev Esc Enf USP. 2009; 43: 1105-13.

Kimura M, Silva JV. Índice de qualidade de vida de Ferrans e Powers. Rev Esc Enf USP. 2009; 43: 1098- 104.

Yamada BFA, Santos VLCG. Ferrans and Powers Quality of Life Index: Development and validation of wound version. 2006 International Society for Quality of Life Research meeting abstracts[www.isoqol.org/2006mtgabstracts]. The QLR Journal. A-60, Abstract#1728.

Yamada BFA, Santos VLCG. Conhecendo o Índice de Qualidade de Vida de Ferrans e Powers. Rev Estima. 2006; 4(3): 46.

Yamada BFA, Santos VLCG. Índice de Qualidade de Vida de Ferrans e Powers: construção e validação da versão feridas. Rev Estima. 2007; 5 (3): 46.

Perdomo SB. Feridas nos pés de pessoas com diabetes e seus impactos sobre a qualidade de vida. [Dissertação]. Manaus (AM): Universidade Federal do Amazonas; 2008.

Veloso LO, Silva KB, Nascimento JC. Há diferença na Qualidade de Vida, Dor e Depressão entre pacientes com anemia falciforme com e sem feridas decorrentes da doença? [Monografia]. Taubaté (SP): Universidade de Taubaté, 2009.

Santos VLCG, Yamada BFA, Ferrer M, Caballero JÁ, Garretz M, Ledo MJ, Codony M. Journal of Wound, Ostomy and Continence Nursing. 2009; 36:69.

Ferrans CE, Powers MJ. Quality of life index: development and psychometric properties. Adv Nurs Sci. 1985; 8 (1): 15-24.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.


SOBEST - Associação Brasileira de Estomaterapia: Estomias, Feridas e Incontinências
Rua Antônio de Godoi, n 35. Sala 102, Centro
CEP 01034-000
São Paulo/SP