“Sem Pressão”: application with guidelines for identification, staging and prevention of pressure injuries

Authors

  • Rosana Siqueira Campos https://orcid.org/0000-0002-8905-3939
  • Leila Blanes Universidade Federal de São Paulo − Escola Paulista de Medicina − Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Gestão Aplicadas à Regeneração Tecidual – São Paulo (SP), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6922-7719
  • Denise Nicodemo Universidade Federal de São Paulo − Escola Paulista de Medicina − Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Gestão Aplicadas à Regeneração Tecidual – São Paulo (SP), Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0510-009X
  • Lydia Masako Ferreira Universidade Federal de São Paulo − Escola Paulista de Medicina − Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Gestão Aplicadas à Regeneração Tecidual – São Paulo (SP), Brasil.

Abstract

Objective: develop an application with guidance on the identification, staging and prevention of pressure injuries in adults. Method: the descriptive method used started with the search for applications in the area of pressure injuries on the Google © and Apple © platforms. Afterwards, the content was developed, based mainly on the recommendations of the National Pressure Injury Advisory Panel. A prototype was created at www.fábricadeaplicativos.com.br and sent for evaluation of form and content. Six health professionals completed a questionnaire evaluating the application and two of them suggested changes. The application was adequate to the suggestions and reassessed by three stomatherapist nurses who did not suggest changes. Results: the application was developed on the “application factory” website and named “Sem Pressão” (No Pressure), with seven tabs. Conclusion: the application was created with guidelines on identification, staging and prevention of pressure injuries in adults, and made available for free download.

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

Author Biographies

Leila Blanes, Universidade Federal de São Paulo − Escola Paulista de Medicina − Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Gestão Aplicadas à Regeneração Tecidual – São Paulo (SP), Brasil.

Possui graduação no Curso de Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo (1996), especialização em estomaterapia pela Universidade de São Paulo (1999), mestrado (2002) e doutorado (2005) em Ciências pelo Programa de Pós-Graduação em Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Estomaterapia (SOBEST). Vice-coordenadora e Orientadora do Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Gestão aplicadas à Regeneração Tecidual da Unifesp. Tem experiência na área de Enfermagem, atuando principalmente nos seguintes temas: prevenção e tratamento de feridas e cuidados com estomas, lesão por pressão, qualidade de vida e hospitalização.

Denise Nicodemo, Universidade Federal de São Paulo − Escola Paulista de Medicina − Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Gestão Aplicadas à Regeneração Tecidual – São Paulo (SP), Brasil.

Possui graduação em Faculdade de Psicologia pela Universidade de Taubaté (1984), Mestrado (2002) e Doutorado (2005) em Cirurgia Plástica pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. É Professora Doutora da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP. Na UNESP, é Responsável pela Disciplina de Psicologia Aplicada à Odontologia e faz parte da equipe de professores da Disciplina Extra Muros (ambas do curso de Odontologia), foi Responsável pela Disciplina de Psicologia na Engenharia de Segurança do Trabalho, Comunicação e Treinamento (curso de Engenharia Ambiental, 2014-2016); é Coordenadora do Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos (CEPh); Coordenadora da UNATI (Universidade Aberta à Terceira Idade); Membro da Comissão Permanente de Extensão Universitária do Instituto de Ciência e Tecnologia (2015-2017; 2019 - atual); Membro da Comissão de Integridade, Ética e Práticas na Pesquisa da UNESP; Membro do Grupo de Desenvolvimento do Potencial Humano (GDPH 2008-2016), Membro da Comissão de Estudos e Práticas Pedagógicas (CENEPP - 2014-2017). É Professora Orientadora do "Mestrado Profissional em Ciência, Tecnologia e Gestão Aplicadas à Regeneração Tecidual" da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Aplicada à Odontologia, atuando principalmente nos seguintes temas: odontologia, qualidade de vida, saúde bucal, impacto psicossocial e psicologia.

Lydia Masako Ferreira , Universidade Federal de São Paulo − Escola Paulista de Medicina − Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Gestão Aplicadas à Regeneração Tecidual – São Paulo (SP), Brasil.

Doutorado em Cirurgia Plastica Reparadora - UNIFESP (1985), Pós Doc University of California, San Francisco (1992), Livre Docência UNIFESP (1994), Profa Titular Disciplina Cirurgia Plástica UNIFESP (desde 1996), Pesquisadora CNPq 1A (2013-2019), IB (2006-2013) 1C e 2 (desde 1994), Coordenadora Med III CAPES (2011 - 2018), Coordenadora Adjunto Med III CAPES (2005 - 2011), Membro do Comitie Assessoramento de Medicina (CA-MD) CNPq 2016-2019. Coordenadora CA Med. CNPq 2012-2014, Chefe do Depto Cirurgia (2008-2011), Coordenadora Programa Pós Graduação Cirurgia Plástica UNIFESP (1996-2009 e 2018-2020), Membro da Comissão Avaliação-Medicina (CA-Med) CNPq 2010-2013;Coordenadora CA Medicina CNPq 2012-2013; Membro Comissão Avaliação Abertura Cursos Médicos SESU MEC 2006-7; Consultora da FAPESP, CNPq, CAPES, FAPERJ. Editora Associada Internacional do Corpo Editorial do Body Image e do Plastic Reconstructive Surgery Global Open, Editora da área Clinics, Revisora do Plastic and Reconstructive Surgery, American Journal of Clinical Nutrition, Stem Cell Research, International.Immunopharmacology, Journal of Plastic Reconstructive & Aesthetic Surgery, Stem Cells Translational Medicine, Frontiers, Laryngoscope, Brazilian Journal of Medical and Biological Research, Clinics, Revista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Revista Brasileira de Queimaduras, Estima. Membro da Câmara técnica sobre prod.téc.(2007-2017) e membro da Câmara de Cirurgia Plástica do CFM (2007 - atual) . Presidente SOBRADPEC-Reg São Paulo (2005-2015). É membro da International Society Aesthetic Plastic Surgery-ISAPS, IPRAS, Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Soc Bras de Queimaduras,. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Cirurgia Plástica, atuando principalmente nos seguintes temas: Medicina Regenerativa, Cultura de células e Qualidade de vida e Gestão em Cirurgia Plástica,

References

European Pressure Ulcer Advisory Panel, National Pressure Injury Advisory Panel and Pan Pacific Pressure Injury Alliance. Prevention and treatment of pressure ulcers/injuries: clinical practice guideline. the international guideline. Emily Haesler (Ed.). EPUAP/NPIAP/PPPIA: 2019.

Caliri MH, Santos VL, Mandelbaum MH, Costa IG. Classificação das lesões por pressão – Consenso NPIAP 2016 – adaptação cultural. Publicação oficial da Associação Brasileira de Estomaterapia (SOBEST) e da Associação Brasileira de Enfermagem em Dermatologia (SOBENDE). 2016. [Acesso em 01 dez 2016]. Disponível em: http://sobest.org.br/textod/35.

Black JM, Cuddigan JE, Walko MA, Didier LA, Lander MJ, Kelpe MR. Medical device related pressure ulcers in hospitalized patients. International Wound Journal. 2010; 7: 358–65. Disponível em: DOI: 10.1111/j.1742-481X.2010.00699x

Black JM, Kalowes P. Medical device-related pressure ulcers. Chronic Wound Care Management and Research. 2016; 3: 91-9. Disponível em: DOI: https://doi.org/10.2147/CWCMR.S82370

Barbosa JM; Salomé GM. Ocorrência de lesão por pressão em pacientes internados em um hospital-escola. ESTIMA, Braz. J. Enterostomal Ther., 2018; 16: e2718. https://doi.org/10.30886/estima.v16.523_PT.

Constantin AG; Moreira APP; Oliveira JLC; Hofstätter LM; Fernandes LM. Incidência de lesão por pressão em unidade de terapia intensiva para adultos. ESTIMA, Braz. J. Enterostomal Ther., 2018; 16: e1118. doi: 10.1030886/estima. v16.454_PT

Pittman J, Beeson T, Kitterman J, Lancaster S, Shelly A. Medical device–related hospital-acquired pressure ulcers. Development of an evidence-based position statement. J Wound Ostomy Continence Nurs. 2015;42(2):151-4. Disponível em: DOI: 10.1097/WON.0000000000000113

Mazzo A, Miranda FB, Meska MH, Bianchini A, Bernardes RM, Pereira Junior GA. Teaching of pressure injury prevention and treatment using simulation. Esc. Anna Nery 2018;22(1). Disponível em: DOI: 10.1590/2177-9465-ean-2017-0182

Galhardo VA, Magalhães MG, Blanes L, Juliano Y, Ferreira LM. Health-related quality of life and depression in older patients with pressure ulcers. Wounds 2010;22(1):20–6. Disponível em: https://www.woundsresearch.com/content/health-related-quality-life-and-depression-older-patients-with-pressure-ulcers

Chacon JM, Blanes L, Borba LG, Rocha LR, Ferreira LM. Direct variable cost of the topical treatment of stages III and IV pressure injuries incurred in a public university hospital. J Tissue Viability. 2017; 26(2):108-12. Disponível em: DOI: 10.1016/j.jtv.2016.12.003

Dealey C, Posnett J, Walker A. The cost of pressure ulcers in the United Kingdom. J Wound Care. 2012; 21(6):261-6. Disponível em: DOI: 10.12968/jowc.2012.21.6.261

Vêscovi SJB, Caniçali PC, Sant’Anna HC, Bringuete MEO, Rohr RV, Prado TN, et al. Mobile application for evaluation of feet in people with diabetes mellitus. Acta Paul Enferm. 2017;30(6):607- 13. https://doi.org/10.1590/1982-0194201700087

Rouse M. mHealth in: TechTarget [internet]. [Acesso em 30 out 2016]. Disponível em: http://searchhealthit.techtarget.com/definition/mHealth

Sving E, Fredriksson L, Gunningberg L, Mamhidir A-G. Getting evidence-based pressure ulcer prevention into practice: a process evaluation of a multi-faceted intervention in a hospital setting. J Clin Nurs. 2017; 26:3200-11. Disponível em: DOI: 10.1111/jocn.13668

Rodrigues JJ, Pedro LM, Vardasca T, Fonseca F, Torre-Díez I, Martins HM. Mobile health platform for pressure ulcer monitoring with electronic health record integration. Health Informatics J. 2013;19(4): 300–11. Disponível em: DOI: 10.1177/1460458212474909

Pereira FG; Frota NM; Silva DV; Sousa LM, Almeida JC; Cysne Filho FM. Avaliação de aplicativo digital para o ensino de sinais vitais. Rev Min Enferm. 2017; 21:e1034. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1170. Acesso em fev 2017. DOI: http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20170044

Blanes L, Ferreira LM. Prevenção e tratamento de úlcera por pressão. 1ª ed. Rio de Janeiro: Atheneu. 2014.

Ferreira FK, Song EH, Gomes H, Garcia EB, Ferreira LM. New mindset in scientific method in the health field: design thinking. Clinics. 2015;70(12):770-2. Disponível em: DOI: 10.6061/clinics/2015(12)01

Coyer F, Tayyib N. Risk factors for pressure injury development in critically ill patients in the intensive care unit: a systematic review protocol. Syst Rev. 2017 Mar 20;6(1):58. Disponível em: DOI: 10.1186/s13643-017-0451-5.

Association of periOperative Registered Nurses (AORN) [homepage]. Position statement on perioperative pressure ulcer prevention in the care of the surgical patient. 2016. Disponível em: https://www.aorn.org/guidelines/clinical-resources/tool-kits/prevention-of-perioperative-pressure-injury-tool-kit. Acesso em out 2017.

Misra S, Lewis TL, Aungst TD. Medical application use and the need for further research and assessment for clinical practice: creation and integration of standards for best practice to alleviate poor application design. JAMA Dermatol. 2013;149(6):661-2. Disponível em: DOI: 10.1001/jamadermatol.2013.606

Tallier PC, Reineke PR, Asadoorian K, Choonoo JG, Campo M, Wallen CM. Perioperative registered nurses knowledge, attitudes, behaviors, and barriers regarding pressure ulcer prevention in perioperative patients. Appl Nurs Res. 2017; (36):106-10. Disponível em: DOI: 10.1016/j.apnr.2017.06.009

Mercês JMR; Redeiro MMP. A importância dos dispositivos móveis como estratégia para a formação e desenvolvimento de profissionais de saúde. UERJ, 2016. Sociedade Brasileira de Educação à Distância. Disponível em: http://www.abed.org.br/congresso2016/trabalhos/306.pdf. Acesso em fev 2020.

Agu E, Pedersen P, Strong D, Tulu B, He Q, Wang L, et al. The smartphone as a medical device. 2013 IEEE International Workshop of Internet-of-Things Networking and Control (IoT-NC), New Orleans, LA, 2013 [Acesso em 01 dez 2016]; 48-52. Disponível em: http://ieeexplore.ieee.org/stamp/stamp.jsp?tp=&arnumber=6694053&isnumber=6694041.

Bullock A, Dimond R, Webb K, Lovatt J, Hardyman W, Stacey M. How a mobile app supports the learning and practice of newly qualified doctors in the UK: an intervention study. BMC Med Educ. 2015; 15(71): 1-6. Disponível em: DOI: 10.1186/s12909-015-0356-8

Published

2020-12-16 — Updated on 2020-12-16

How to Cite

1.
Siqueira Campos R, Blanes L, Nicodemo D, Masako Ferreira L. “Sem Pressão”: application with guidelines for identification, staging and prevention of pressure injuries. ESTIMA [Internet]. 2020 Dec. 16 [cited 2021 May 12];18. Available from: https://www.revistaestima.com.br/estima/article/view/944

Issue

Section

Original article

Most read articles by the same author(s)