Impacto da avaliação de risco para úlcera por pressão na adesão da equipe a medidas preventivas recomendadas

Lourdes Aparecida de Castro, Gisela Maria Assis


Introdução: As escalas de predição de risco são amplamente recomendadas para que os protocolos de prevenção de úlceras por pressão sejam aplicados de acordo com o grau de risco do paciente. Objetivo: Avaliar se a implementação da avaliação de risco por meio da escala de Braden influencia na adesão às medidas de prevenção pela equipe de enfermagem. Método: Foi aplicado um checklist com as principais medidas de reposicionamento e conforto recomendadas, antes e depois da implementação da avaliação de risco em um centro de terapia intensiva. Resultados: A adesão foi significativa para elevação de calcâneos, uso de travesseiros, orelhas livres de pressão e fixação de cateteres. A elevação de cabeceira menor que 45o e o uso de colchões especiais apresentaram piora estatisticamente significante. De maneira geral, os dados isolados por turno influenciaram no resultado geral, com algumas exceções, por exemplo o reposicionamento dos pacientes em até 3 horas não apresentou alteração na avaliação geral antes e após a implantação da avaliação de risco, no entanto, uma das equipes do noturno apresentou uma queda importante no percentual de adesão. Conclusão: Conclui-se que a avaliação de risco por meio da Escala de Braden influencia na adesão às medidas de prevenção pela equipe de enfermagem, porém, observou-se também que outros fatores interferem nesses resultados, tanto positiva como negativamente.


Keywords


Úlcera por pressão. Fatores de risco. Educação em saúde. Estomaterapia.

Full Text:

PDF    


DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z1806-3144201700040003

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


SOBEST - Associação Brasileira de Estomaterapia: Estomias, Feridas e Incontinências
Rua Antônio de Godoi, n 35. Sala 102, Centro
CEP 01034-000
São Paulo/SP