Stomatheraphy: influences and repercussions on the professional career

Authors

  • Lais Del Moro Cespedes Wojastyk Universidade de Taubaté – Curso de Enfermagem em Estomaterapia – Departamento de Pós-Graduação de Enfermagem – Taubaté (SP) – Brazil https://orcid.org/0000-0003-3966-2696
  • Maria Angela Boccara de Paula Universidade de Taubaté – Curso de Enfermagem em Estomaterapia – Departamento de Pós-Graduação de Enfermagem – Taubaté (SP) – Brazil https://orcid.org/0000-0002-7438-9595
  • Merielen Neves Brajão Prado Universidade de Taubaté – Curso de Enfermagem em Estomaterapia – Departamento de Pós-Graduação de Enfermagem – Taubaté (SP) – Brazil

Keywords:

Enfermagem, Especialidades de Enfermagem, Estomaterapia.

Abstract

Objective: To analyze the influences and repercussions of enterostomal therapy on the career of nurses. Methods: Descriptive, exploratory study with quantitative approach, conducted in 2014. The sample consisted of 29 nurses graduated from the Nursing School of the University of São Paulo and the University of Taubaté. The data were collected through a questionnaire and analyzed by SPHINXR software. The results were discussed in the light of the literature on the subject. Results: The continuity of the studies provided the nurse a career with promotions, management positions or even a career redirection. The work environment influenced the achievement of the specialty (21/79%). The participants worked in several types of institutions and their positions were diverse, thus presenting options for those who want to pursue a career in the area. Conclusion: The job market, as well as the environment in which the nurse is inserted, most of the time plays a defining role when the subject is the choice of a specialization.

Downloads

Download data is not yet available.

Metrics

Metrics Loading ...

References

Cavalcanti VGS, Viana LO, Garcia NI. As especialidades e os nexos com a formação contínua do enfermeiro: repercussões para a atuação no município do Rio de Janeiro. Enfermaria Global. 2010: 19 jun.

Costa COM, Squarcina DF, Paula MAB. O especialista em Estomaterapia. In: Paula, MAB; Paula PR; Cesaretti IUR (org). Estomaterapia em foco e o cuidado especializado. São Caetano do Sul: Yendis Editora; 2014. 2-11.

Costa RRO; Medeiros SM; Santos VEP et al. Positivismo e Complexidade: Interfaces e influências no contexto do ensino da graduação em enfermagem. Rev baiana enferm. 2017 31(1).

Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466 de 12 de Dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília, 2012.

Conselho Federal de Enfermagem COFEN [http://www.cofen.gov.br]. Pesquisa Perfil da Enfermagem no Brasil [acesso em 20 de outubro de 2019]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/perfilenfermagem/index.html

Dias MSC, Paula MAB, Morita, ABPS. Perfil Profissional de Enfermeiros Estomaterapeutas egressos da Universidade de Taubaté. Rev Estima. 2014; 12(3): 13-22.

Dourado GOL. Enfermeiro estomaterapeuta: Onde, quando e como atuar. São Paulo, 2015. [Acesso 19 de outubro de 2015]. Disponível: http://divulgapiaui.com.br/portal/enfermeiro-estomaterapeuta-onde-quando-e-como-atuar/

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Brasília: 2019. [Acesso dia 03 de outubro de 2019]. Disponível em

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores.php

Jorge, AAF. A formação do enfermeiro e os conteúdos curriculares necessários para aquisição de competências e habilidades para o planejamento e a gestão em saúde. Revista Eletrônica Gestão & Saúde. 2012: 3 (3) 1013-30.

Linzmeyer SMVV. Carreiras contemporânea: responsabilidade pessoal e desafios da trajetória profissional [tese de doutorado]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Instituto de Psicologia da USP, 2014. 151p

Messias, M; Gonçalves GCC; Lecca CGG, et al. Identificação das âncoras de carreira de enfermeiros. Revista de enfermagem do centro-oeste mineiro. 2017: 7 /1104.

Miranda BS. A associação da percepção de sucesso na carreira e valores pessoais [tese]. SãoPAulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade; 2013. 198 p

Monge, RA; Avelar MCQ. A assistência de enfermagem aos pacientes com estomia intestinal: percepção dos enfermeiros. Online Brazilian Journal of Nursing.2009; 8 (1).

Oliveira MC de. Sucesso na carreira depois da graduação: estudo longitudinal prospective da transição universidade-trabalho [tese de doutorado]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto/USP, 2014. 205 p

Ortega, MDCB; Cecagno D; Llor MAS et al. Formação acadêmica do profissional de enfermagem e sua adequação às atividades de trabalho. Rev Latino-Am Enfermagem. 2015; 23(3): 404-410.

Paul J, Brêda M, Cunha M. Entrevista: A participação da indústria na história da estomaterapia. Rev Estima. 2004, 8.

Paula, MAB. A prática do especialista na diversidade. Rev Estima. 2008; 6 (4): 33-34.

Paula, MAB; Santos, VLCG. O significado de ser especialista para o enfermeiro estomaterapeuta. Rev Latino-am Enfermagem. 2003; 11(4): 474-82.

Santos VLCG; Cesaretti IUR. Assistência em Estomaterapia: cuidando do estomizado. São Paulo: Editora Atheneu, 2000; Cap 1, 1-17.

Silva, MAB. Percepções e trajetórias de vida no trabalho. Psicol. Argum. 2014; 32(79): 49-59

SphinxBrasil. Survey – Software para analise de dados quantitativos [acesso dia 10 de fevereiro de 2015]. Disponível em http:www.spinxbrasil.com

Published

2020-09-18

How to Cite

1.
Wojastyk LDMC, de Paula MAB, Brajão Prado MN. Stomatheraphy: influences and repercussions on the professional career. ESTIMA [Internet]. 2020Sep.18 [cited 2020Oct.21];180. Available from: https://www.revistaestima.com.br/estima/article/view/883

Issue

Section

Original article