Revisão

Authors

  • Maria da Penha Schwartz Enfermeira. Mestranda Enfermagem Profissional (UFF). Estomaterapeuta (EEUSP). Enfermeira Estomaterapeuta-Ambulatório/Urologia HC I-INCA.
  • Selma Petra Chaves Sá Enfermeira. Dra. Enfermagem. Professora Titular do Departamento de Fundamentos de Enfermagem-EEAAC-Universidade Federal Fluminense.
  • Fernanda Souza Santos Enfermeira. Mestranda Enfermagem Profissional (UFF). Enfermeira-Hospital Universitário Antonio Pedro-UFF Niterói-RJ.
  • Mauro Leonardo Salvador Caldeira dos Santos Enfermeiro. Dr. Enfermagem. Professor Associado I-EEAAC-UFF - EEAAC Universidade Federal Fluminense. Professor Adjunto FENF/UERJ.
  • Geilsa Soraia Cavalcante Valente Enfermeira. Drª Enfermagem. Profª Adjunta EEAAC – Universidade Federal Fluminense.

Abstract

O Cuidado ao Paciente no Pré-Operatório de Estoma Intestinal Provisório: Revisão Integrativa da Literatura
Preoperative Care for Patients Undergoing Temporary Intestinal Stoma Formation: an Integrative Review
El Cuidado del Paciente en el Período Preoperatorio de Estoma Intestinal Temporal: Revisión Integradora de la Literatura
ResumoEste artigo diz respeito a uma pesquisa bibliográfica integrativa tendo como questões: o que os estudos abordam sobre o préoperatório ao paciente candidato a ter um estoma intestinal provisório e sobre o pré-operatório para o fechamento do estoma provisório. Os critérios de inclusão foram: artigos completos disponíveis online no período de 1990 a 2010, em inglês, português e espanhol. Utilizando os descritores ostomia, enfermagem e autocuidado, somente cinco artigos completos estavam disponíveis online. A análise das publicações possibilitou identificar que existem poucas pesquisas acerca da complexidade e da dimensão do cuidado ao paciente com estoma intestinal provisório bem como da importância das ações de enfermagem no cuidado a esse paciente, contemplando as ações educativas no pré-operatório para a abertura e fechamento do estoma provisório, ou reconstrução do trânsito intestinal.Descritores: Estomas Cirúrgicos. Cuidados de Enfermagem. Cuidados Pré Operatórios. Estomia. AutocuidadoAbstractThis was an integrative review of the literature aimed at answering the question: What is the main focus of studies on the preoperative nursing care of patients scheduled to undergo formation or closure of a temporary intestinal stoma? Inclusion criteria were full articles that were available online and published in English, Portuguese, and Spanish between 1990 and 2010. Only 5 articles were retrieved using the following medical subject headings: ostomy, nursing, and self care. The evaluation of the 5 retrieved articles revealed that there are few studies on the complexities involved in the care of patients with temporary intestinal stoma, as well as on the importance of nursing interventions in the care of these patients, including educational interventions prior to the formation or closure of a temporary stoma and ostomy reversal.Descriptors: Surgical Stomas. Nursing Care. Preoperative Care. Ostomy. Self Care.ResumenSe trata de una revisión integradora de la literatura que tiene como pregunta principal: ¿Qué es lo que los estudios abordan sobre el preoperatorio del paciente candidato a tener estoma intestinal temporal y sobre el preoperatorio del cierre del estoma temporal? Los criterios de inclusión fueron: artículos completos disponibles online en el período 1990 a 2010, en portugués, inglés y español. Sólo 05 artículos completos estaban disponibles. Fueron utilizadas las siguientes palabras claves: enfermería, ostomía y autocuidado.El análisis de las publicaciones demostró que existen pocas investigaciones relacionadas con la complejidad del cuidado a estos pacientes con estoma intestinal temporal así como la importancia de las acciones de enfermería en el cuidado de estos pacientes contemplando las acciones educativas durante el preoperatorio para la apertura y el cierre del estoma temporal o la reconstrucción del tránsito intestinal.Palabras clave: Estomas Quirúrgicos. Atención de Enfermería. Cuidados Preoperatorios. Ostomia. Actividades Cotidianas.IntroduçãoO cuidado ao paciente com estoma intestinal é focado na sua reabilitação, visando ao autocuidado nessa nova etapa de sua vida. Além disso, deve ser desenvolvido de forma a abranger o indivíduo na sua integralidade e individualidade, a fim de promover e facilitar a sua adaptação.Nesse processo do cuidar, a consulta préoperatória do paciente candidato a ter um estoma intestinal é fundamental no seu processo de readaptação. As intervenções de enfermagem procuram deixar o paciente familiarizado com o estoma intestinal e com o equipamento coletor, e inicia-se o processo educativo a fim de proporcionar uma melhor adaptabilidade no pós-operatório.Além das condições globais, normalmente levantadas nessa etapa, deve-se enfatizar a avaliação do estado nutricional, do padrão prévio de eliminação intestinal para observar a existência e qualidade de alergias, as condições da parede abdominal e as deficiências físicas que interfiram nas destrezas e nas habilidades do autocuidado como: alterações visuais ou articulares, uso de aparelhos, próteses, etc. Nessa fase, considera-se, também de suma importância, a demarcação prévia do local do futuro estoma, de modo a facilitar e promover o autocuidado e favorecer a qualidade de vida do paciente1, 2.A Sociedade Brasileira de Estomaterapia: estomias, feridas e incontinências (Sobest), no que se refere à área de estomias (intestinal e urinário), estabeleceu as seguintes ações de enfermagem no pré-operatório3:• Realizar a consulta de enfermagem e utilizar instrumento de avaliação que possibilite a obtenção de subsídios para a implementação da sistematização da assistência de enfermagem em estomaterapia (o histórico deve contemplar dados relacionados não só aos aspectos sóciodemográficos, de saúde em geral dentre outros aspectos relevantes, como também ao exame físico).• Orientar quanto ao ato operatório, ao preparo prévio em geral, ao estoma, aos equipamentos coletores, aos programas públicos de assistência e à Associação de Estomizados, à Declaração Internacional dos Direitos dos Ostomizados, à possibilidade de visita de outra pessoa estomizada que esteja reabilitada.• Fazer a demarcação do local onde será implantado o futuro estoma;• Fazer teste de sensibilidade, se pertinente;• Encaminhar a outros profissionais se achar necessário.Mesmo sendo provisório, ter estoma intestinal acarreta alteração na vida do indivíduo, nos aspectos biopsicossociais pela alteração da imagem corporal e na autoestima. Isso ocorre porque o paciente precisa saber lidar com o problema e aprender a cuidar do seu estoma e utilizar equipamento coletor4. Além disso, faz-se necessário conhecer as implicações concernentes aos tipos de estomas provisórios.Como o enfermeiro é responsável pelas orientações de autocuidado, principalmente relacionado ao manuseio do estoma e do equipamento coletor, surgiu o interesse de pesquisar acerca desta temática especialmente após a criação e implantação dos cursos de especialização de enfermagem em estomaterapia no Brasil, a partir de 1990. O estudo teve, portanto, como objetivos rastrear estudos que abordem o pré-operatório de abertura e fechamento dos estomas provisórios intestinais, a partir da identificação, caracterização e discussão da produção científica selecionada.MétodosTrata-se de uma revisão integrativa de literatura, cujo método de pesquisa permite a síntese de estudos publicados e possibilita conclusões de uma particular área de estudo além de apontar lacunas do conhecimento que necessitam de novos estudos5.A pesquisa foi realizada na Biblioteca Virtual em Saúde-BVS, na primeira quinzena de março de 2012, utilizando as bases de dados Lilacs e Medline e tendo as seguintes questões norteadoras: as abordagens sobre o pré-operatório de pacientes candidatos a ter um estoma intestinal provisório e também sobre o pré-operatório para o fechamento deste tipo de estoma.Os critérios de inclusão foram os artigos completos disponíveis online (pela facilidade da disponibilidade do artigo) no período de 1990 a 2010, em inglês, português e espanhol. No primeiro momento da busca, foram utilizados os descritores associados: cuidados pré-operatórios, ostomia e estoma cirúrgico de forma cruzada. O resultado contou com cinco artigos sendo: nenhum artigo disponível na íntegra; três artigos publicados em inglês em revistas internacionais; e dois artigos publicados em português, em revistas nacionais. Conforme leitura do resumo, todos os artigos abordavam a demarcação pré-operatória. No segundo momento, foi realizada nova busca com os descritores: ostomia, enfermagem, autocuidado, cuidados pré-operatórios e estoma cirúrgico, e foram encontrados dois artigos em inglês, que se repetiam na busca anterior e não estavam disponíveis online, sendo, portanto, descartados.Procedeu-se então a uma nova busca com os seguintes descritores: ostomia, enfermagem e autocuidado.Foram encontrados 33 artigos, dos quais seis estavam disponíveis online, com texto completo, e cinco obedeciam ao critério de inclusão referente à temporalidade. Esses cinco artigos compuseram finalmente esta revisão integrativa de literatura.Após a identificação dos artigos, foi realizada a leitura na íntegra a fim de identificar os que estavam relacionados com a questão da pesquisa.Resultados e DiscussãoApós a análise dos cinco artigos, a síntese de seus resultados encontra-se no Quadro 1.A pesquisa6 utilizou a bolsa coletora como experiência pedagógica a fim de analisar a (re)

 

Quadro 1 - Descrição dos artigos encontrados na pesquisa de revisão integrativa, 1990-2012.Ano de PublicaçãoPeriódicoTítuloAutoresBase de DadosOrigem/Nacionalidade      2000Rev Lal Am Enferm. Anuar.[Wearing a pouch shows the difference between “being na ostornized person” and being a profissional’ Analy sis of a teaching strategy]6Lucon. Srougi9Santos VL: Sawaia BBMedlineBrasil2003Acta Paul. Enferm. Lucon,Sistema oclusor ou oclusor intermitente da colostomia: alternative para a reabilitação de pessoa colostomizada7Cesardui IUR;Vianna LACLilacsBrasil2004Cogitare Enferm. Srougi9Convivendo com uma ostomia: conhecendo para melhor cuidar8Farias DHR: Gomes GCG: Zappas SLilacsBrasil2007Rev. Bras CancerologiaA importância da consulta de enfemagem em pré-operatório de ostomias intestinais9Mendonça RS; Valadão M; Castro L; Camargo TCLilacsBrasil2008Acta Paul. Enferm.Nursing care to an ostomy patient: application of the Orem"s theory10Sampaio FAA; Aquino PS; Araújo TL; Galvão MTGLilacsBrasil

 

construção das significações sobre a estomia em trinta enfermeiros; o resultado apontou não só para a reflexão sobre as representações sociais que ancoram nos significados, como também para os papéis sociais no processo de cuidar em enfermagem, em especial a pessoa ostomizada.Outro estudo7, em que os autores realizaram uma revisão de literatura, aponta as vantagens e desvantagens no uso do oclusor intermitente de colostomia, como forma de melhorar a qualidade de vida dos pacientes com colostomia definitiva, por meio da avaliação e ensino do autocuidado ao paciente colostomizado em uso desse tipo de tecnologia para controle intestinal.Um estudo descritivo8 com oito estomizados, dos quais somente dois possuiam colostomia provisória, utiliza a análise de conteúdo para identificar as alterações causadas no conviver com um estoma. Enfatiza que um dos maiores problemas enfrentados pelos pacientes é referente à auto-aceitação que interfere no seu autocuidado. Isso se refere ao fato de que os pacientes com estoma temporário não acreditam ser capazes de conviver com o estoma e aguardam com muita ansiedade a oportunidade para o fechamento dele.O artigo9 de pesquisa bibliográfica destaca a importância da consulta de enfermagem no préoperatório da realização da ostomia, a fim de diminuir as deficiências de autocuidado, tendo como referencial a teoria de Autocuidado de Orem.Em um estudo de caso10, que utiliza a Teoria de Autocuidado de Orem, em uma paciente com estoma intestinal provisório, devido à Doença de Chagas, destaca a ansiedade da paciente para o fechamento do estoma.Dos cinco artigos selecionados como potenciais, um abordava o pré-operatório ao paciente candidato a realizar o estoma intestinal não diferenciando quanto à temporalidade da permanência do estoma; outro abordava o paciente com estoma intestinal provisório no pós operatório e referia-se ao desejo e à ansiedade do paciente em fechar o estoma. O resultado da pesquisa mostra que existem poucas produções acerca da complexidade e da dimensão do cuidado ao paciente com estoma intestinal provisório, no que diz respeito tanto ao pré-operatório para a confecção do estoma, quanto ao fechamento do mesmo.Tendo em vista que a fase pré-operatória compreende o período de tempo desde quando é tomada a decisão da intervenção cirúrgica até o paciente ser transferido para a mesa da sala de cirurgia, deve-se priorizar o processo de avaliação do paciente nas esferas física e psicossocial, identificando o nível de autocuidado prévio e em vigência da doença1,2. Pode-se inferir que a consulta de enfermagem pré-operatória a estes pacientes minimiza a ansiedade e o temor, esclarece dúvidas, pois frequentemente os pacientes não têm ideia do que é um estoma, do equipamento coletor (bolsa de colostomia) e de como irão conviver com um estoma. Nesse processo de cuidar, insere-se a importância também da demarcação pré-operatória do local do futuro estoma.Vale ressaltar que os pacientes também devem ser orientados sobre algumas sensações e percepções corporais e fisiológicas, como a presença da sensação evacuatória, podendo haver eliminação de flatos e muco por via anal. Essa situação é normal ocorrer nos pacientes que têm estoma intestinal provisório11.Devem-se também incluir as orientações de pré-operatório para o fechamento do estoma intestinal, explicando as etapas do preparo nessa fase, tendo em vista que é outro procedimento cirúrgico, de modo que os cuidados prestados pela enfermagem nesse período requerem muito mais do que uma simples habilidade técnica. Cabe à enfermeira o preparo adequado de cuidados préoperatórios no sentido de dirimir a dúvida do paciente quanto ao ato cirúrgico e aos procedimentos no pós-operatório mediato, imediato e preparação para a alta hospitalar12.Em pesquisa13 que avaliava a percepção dos pacientes em receber orientações de enfermagem sobre o período perioperatório, relataram ser importante receber as orientações no préoperatório, porque eles aprendiam a se cuidar e sentiam-se mais seguros diante de uma situação que não conheciam e também porque passavam a compreender melhor o que estavam vivenciando.Ao considerar que o desconhecido provoca medo, ansiedade, angústia e, muitas vezes, bloqueios para a ação e a transformação de situações críticas passíveis de serem modificadas ao se fornecer orientações para o cliente em situação cirúrgica, possibilita-se a compreensão da necessidade do autocuidado, e aproxima-se o cliente de sua real condição de saúde, fornecendo alternativas para que ele tenha uma participação ativo-interativa no cuidado de sua própria saúde13.Considerações FinaisEste artigo destaca a necessidade de haver maior número de pesquisas sobre o cuidado de enfermagem no pré-operatório, sobre pacientes com estoma intestinal provisório na abertura e fechamento do estoma que abordem tanto os aspectos biológicos e objetivos, quanto os subjetivos que advém da cirurgia, e quão necessária é a realização da consulta de enfermagem neste processo, de modo a solidificar e respaldar a atuação do enfermeiro em especial do (a) estomaterapeuta no contexto da equipe multi-interdisciplinar.Em se tratando de estomas temporários, a demarcação pré-operatória em cirurgias eletivas requer a avaliação criteriosa do (a) estomaterapeuta de modo a realizar o local da demarcação do futuro estoma em conformidade com a proposta cirúrgica.Deve-se, portanto, considerar a ação educativa do enfermeiro do cuidado pré-operatório a todos os pacientes com estoma intestinal provisório tais como: doença oncológica, doenças benignas, acidentes com arma perfuro cortante, arma de fogo e outras situações que levem a realização do estoma intestinal provisório e posteriormente ao seu fechamento. Isso deve acontecer de forma que possamos proporcionar um atendimento acolhedor e humanizado, contribuindo para a sua readaptação, mesmo que provisória, nessa etapa da vida do paciete.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Santos VLCG. Fundamentação teórico-metodológica da assistência aos ostomizados na área da saúde do adulto. Rev Esc Enferm. USP 2000; 34(1): 59-63.

Cesaretti IUR, Santos VLCG, Filipin MJ, Lima SRS. O cuidar de enfermagem na trajetória do ostomizado: pré & trans & pós operatório. In: Santos VLCG, Cesaretti IUR. Assistência em estomaterapia-cuidando do ostomizado. São Paulo (SP): Atheneu; 2000: p.113-131.

Associação Brasileira de Estomaterapia-Sobest.[Internet] [acesso 11 nov 2011]. Disponível em http://www.sobest.org.br

Schwartz MP, Teixeira ER. A complexidade do cuidar nos pacientes com estoma intestinal provisório por câncer colorretal. In: VIII Congresso Brasileiro de Estomaterapia, VII Semana Nacional de Estomaterapia, II Simpósio Internacional de Incontinências. 2009.Rio Quente - Goiás.[Internet] [acesso 12 nov 2011]. Disponível em: http://bvms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/inca/ Maria_daPenha_1.pdf

Martins VV, Penna LHG, Paula MAB, Pereira CDC, Leite HC. Sexualidade, estoma e gênero: revisão integrativa de literatura. Rev Estima 2011; v.9(1): p.39-46.

Santos VCGL, Sawaia BB. A bolsa na mediação “estar ostomizado” - “estar profissional”: análise de uma estratégia pedagógica. Rev Latino am. Enfermagem 2000; 8(3): 40-50.

Cesaretti IUR, Vianna LAC. Sistema oclusor ou oclusor intermitente da colostomia: uma alternativa para a reabilitação da pessoa colostomizada. Acta Paul Enferm. 2008; 16(3): 98-108.

Farias DHR, Gomes GCG, Zappas S. Convivendo com uma ostomia: conhecendo para melhor cuidar. Cogitare Enferm. 2004; 9(1): 25-32.

Mendonça RS, Valadão M, Castro LS, Camargo MT. A importância da consulta de enfermagem em pré-operatório de ostomias intestinais. Revista Brasileira de Cancerologia. 2007; 53(4): 431-35.

Sampaio FAA, Aquino PS, Araújo TL, Gimenez MT. Nursing care to an ostomy: application of the Orem’s theory. Acta Paul Enferm. 2008; 21(1): p.94-100.

Schwartz MP, Sá SPC. Boas práticas de enfermagem no controle da eliminação intestinal. In: Viana DL (org.). Boas práticas de enfermagem. São Caetano do Sul-SP: Yendis; 2010: p.242-259.

Magalhães CR, Guimarães EC, Aguiar BGC. O papel do enfermeiro educador: ação educativa do enfermeiro no pré e pós operatório. Rev pesquisa: cuidado é fundamental. 2004; 8( 1/2): p.115-19.

Souza NVD, Silva MF, Marques GS, Rodrigues FR, Cruz EJER Evaluating the orientations of nursing in perioperatory care - a descriptive study .Online Braz J Nurs.[Internet] 2006 [cited 2012 fev 24 ];5(1):185-90.Available from: http://www.uff.br/ objnursing.

Published

2012-09-01

How to Cite

1.
Schwartz M da P, Sá SPC, Santos FS, Santos MLSC dos, Valente GSC. Revisão. ESTIMA [Internet]. 2012 Sep. 1 [cited 2021 Nov. 27];10(3). Available from: https://www.revistaestima.com.br/estima/article/view/314

Issue

Section

Article

Most read articles by the same author(s)