Resumo de Tese

Authors

  • Geridice Lorna Andrade de Moraes Doutora em Enfermagem, Gerontóloga titulada pela SBGG, Diretora de Pesquisa e Projetos Estratégicos do Instituto Municipal de Pesquisa Administrativo e Recursos Humanos
  • Maria Josefina da Silva Orientadora: Professora do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Ceará. Membro dos grupos de Pesquisa: Políticas e Práticas de Saúde – GRUPPS e Grupo de Estudo e Pesquisa em Gerontogeriatria, Enfermagem/Saúde e Educação.

Abstract

Adaptação e Validação de Protocolo para Prevenção de Úlcera por Pressão em Idosos Assistidos no Domicílio


Trata-se de um estudo com delineamento experimental randomizado. Teve como objetivos verificar a validade de um protocolo de enfermagem para prevenção de úlcera por pressão (UP) em idoso acamado no domicílio, cujo cuidado é realizado pelo cuidador familiar, com supervisão dos enfermeiros da atenção básica do Sistema Único de Saúde; revisar o protocolo de prevenção de úlceras por pressão de acordo com o parecer de especialistas em estomaterapia; aplicar a escala preditiva de risco de Braden para classificação do risco de úlcera por pressão em idosos acamados no domicílio e avaliar os resultados esperados segundo o protocolo de prevenção de úlceras por pressão. Este estudo dividiu-se em duas etapas: validação de conteúdo e validação clínica. Utilizou-se como referencial, o protocolo prático do padrão de enfermagem desenvolvido pela enfermeira americana Elizabeth Ayello, como parte do projeto do Sistema de Melhoria nos Cuidados de Enfermagem para Idosos (NICHE). O protocolo foi submetido à apreciação de dezesseis enfermeiras especialistas em estomaterapia, residentes no município de Fortaleza- Ceará. A coleta de dados foi realizada no período de junho a agosto de 2010; a população do estudo foi de 520 idosos internados em hospitais públicos e privados, sendo recrutados 40 sujeitos. O recrutamento foi através de critérios de elegibilidade, tais como: estar classificado de acordo com a escala preditiva de Braden; estar em situação de incapacidade de deambular; estar acima de 60 anos; e residir no município de Fortaleza ou em regiões metropolitanas. As avaliações e as adequações propostas pelo parecer das especialistas em relação à validação de conteúdo resultaram em inclusões, em itens semelhantes, e exclusões de outros; assim, Resumo de Tese após consenso das especialistas, das 26 medidas preventivas sugeridas, o protocolo ficou com 16. Das 16 medidas preventivas, 8 (40%) do total foram realizadas conforme o protocolo por mais de 70% dos cuidadores, nas três visitas domiciliárias. A análise de medidas repetidas mostrou a violação do princípio da esfericidade das variâncias entre os dias de aplicação do protocolo. Os grupos apresentaram homogeneidade de variâncias tanto por dia de intervenção como globalmente. Na análise com a correção de Greenhouse-Geisser, foi identificada diferença estatisticamente significante entre os escores da escala de Braden por dia (p<0,001). Observou-se que na primeira, segunda e terceira avaliações, o grupo experimental apresentava número significativamente maior de pacientes com risco alto ou elevado. O grupo controle mostrou maior concentração de pacientes na classificação “em risco” na terceira e na quarta avaliações. Na quarta avaliação, um sujeito do grupo experimental foi reinternado. Os resultados indicam que 13 (65%) dos sujeitos do grupo controle não apresentaram UP e 7 (35%) a apresentaram; entretanto, 18 (90%) do grupo experimental não apresentaram UP e apenas 2 (10%) a apresentaram. O grupo controle apresentou risco relativo para úlcera de 3,5 em relação ao grupo experimental. Esse valor mostra significância estatística ao nível de 10%. O estudo concluiu que a linguagem do protocolo foi clara e que o mesmo foi viável, factível nas medidas preventivas.Palavras-Chave: Úlcera por pressão. Protocolos. Cuidadores. Idoso. Visita domiciliar.

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2011-09-01

How to Cite

1.
Moraes GLA de, Silva MJ da. Resumo de Tese. ESTIMA [Internet]. 2011 Sep. 1 [cited 2022 Aug. 16];9(3). Available from: https://www.revistaestima.com.br/estima/article/view/300

Issue

Section

Article