A prevenção de lesões Peri-incisionais em cirurgia ortopédica com a utilização da cobertura hidrocolóide transparente: relato de experiência

Authors

  • Rosana Pellícia Pires Estomaterapeuta – Enfermeira do Serviço de Educação Continuada ho Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Coordenadora do Grupo de Estudos de Enfermagem em Estomaterapia.
  • Elaine Cristina Salzedas Muniz Estomaterapeuta – Enfermeira de Unidade de Internação do Hospital Alemao Oswaldo Cruz. Membro do Grupo de Estudos de Enfermagem em Estomaterapia.
  • Maria Fátima Ventura Enfermeira-Chefe da Unidade Ortopedia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Abstract

O processo de reparação de feridas cutâneas passa pelos estágios defensivo, proliferativo e de maturação (1). Nas feridas cirúrgicas, a reparação geralmente ocorre por primeira intenção, há pouca perda tecidual, devido á aproximação das margens por meio de sutura, o que reduz a formação da cicatriz.O uso de coberturas para o tratamento tópico de qualquer ferida requer conhecimento dos mecanismos de reparação tecidual, uma vez que esse processo pode ser influenciado pela escolha da cobertura e também pelo método de realização do procedimento, sendo imprescindível a escolha da cpbertura que favoreça esse propósito e proteja a ferida do meio externo.Os curativos em feridas cirúrgicas, geralmente, são realizados com coberturas convencionais – gaze e adesivo. Dentre as coberturas modernas, existentes no mercado, que podem ser utilizados nesse tipo de ferida, tem-se o hidrocolóide transparente.Essa tecnologia possui matriz (camada interna) composta de carboximetilcelulose e gelatina, além de elastômeros, os quais permitem absorção do exsudato da ferida pelas partículas de celulose, formando um gel úmido e macio.Na camada externa existe um filme de poliuretano, impermeável á água, a bactérias e outros agentes, externos, que isola a ferida térmico, favorecendo o crescimento celular. Com essas características, as terminações nervosas umedecidas proporcionam alíveio da dor e o gel reduz o risco de danos á pele adjacente ao leito da ferida no momento da remoção do curativo.Outro benefício dessa cobertura é a elasticidade, que acompanha os movimentos da pele e também do edema peri-incional decorrente do processo inflamatório. Nas cirúrgicas ortopédicas, o edema decorre da maior manipulação e tração tecidual. Predispondo assim a formação de flictenas.Em nossa instituição, no período pós-operatório imediato das cirurgias ortopédicas, geralmente, utilizava-se cobertura convencional ou optava-se por cobertura não aderente combinada com filme transparente.Essa segunda cobertura, na maioria das vezes, era retirada no 1º pós-operatório devido á ocorrência de flictenas peri-incisionais, por vezes observadas sob o adesivo já instalado ou após sua retirada, provocando dores intensas devido á lesão da epiderme. Embora a ocorrência das lesões estivesse mais relacionada com a utilização do filme, também era evidenciada com a cobertura convencional. Essa complicação de pele tornou-se um problema, pois aumentava o risco de infecção e interferia no processo de reparação tecidual da ferida. Como consequência a alta hospitalar era postergada, aumentando os dias de internação, o custo com o tratamento e os cuidados com a ferida, que por vezes se estendia após a alta do paciente.Devido a esses fatores optamos por realizar um estudo com a utilização de outro tipo de cobertura, que facilitasse o processo de reparação tecidual, evitasse lesões de pele e tivesse boa relação custo-eficácia. Nossa finalidade foi a obtenção de subsídios para mudanças nas condutas até então utilizadas.Assim sendo, elegemos o hidrocolóide transparente e nos propusemos realizar esse estudo com os seguintes objetivos: comparar o uso da cobertura de hidrocolóide transparente com os geralmente utilizados na instituição em relação á integridade cutânea; a presença de dor durante a remoção da cobertura e de reação adversa; formação de flictena peri-incional e custo-eficácia.2. Casuística e MétodoTrata-se de um estudo de caso, realizado em um hospital geral, de médio porte, privado e de corpo clínico aberto, localizado no município de São Paulo. A população estudada foi composta por 35 (trinta e cinco) pacientes internados na Unidade Ortopédica no período de dezembro 1999 a março de 2000.2.1 Procedimentos adotadosForam adotados os seguintes procedimentos: abordagem individualizada aos médicos ortopedistas das equipes que mais frequentemente internavam na instituição (38 equipes), apresentando o objetivo do estudo e o material a características e benefícios. Todos os médicos concordaram e autorizaram o estudo com seus pacientes. Além das esquipes médicas, envolveram-se nessa pesquisa as enfermeiras do Centro hidrocolóide transparente era encaminhado ao centro cirúrgico juntamente com o prontuário do paciente e este era colocado pela própria equipe médica ao término da cirurgia – após limpeza da incisão com soro fisiológico 0,9% e secagem adequada da pele ao redor e retirado na unidade de internação 72 horas após.A avaliação da pele peri-incisional, da cobertura, queixas de dor e exame físico eram realizados, diariamente, pela enfermeira da unidade de ortopedia e registrado em impresso próprio, desenvolvido pelas autoras, que contava de dados gerais sobre os pacientes e sobre a ferida. Esse impresso era mantido no prontuário ate a alta hospitalar e posteriormente mantido com as autoras para analise. A documentação, também, foi realizada por fotografia, com o consentimento livre e esclarecido dos pacientes.Os valores dos materiais e procedimento adorados para a realização dos custos foram os vigentes na instituição no período do estudo. Não foram computados os gastos com sono fisiológico e gaze para proceder á limpeza da ferida no intra-operatorio, pois estes eram computados nos custos do procedimento cirúrgico.3. ResultadosOs dados estão apresentados em tabelas, em números absolutos e relativos. Da amostra de 35 ( trinta e cinco) pacientes, 21 (vinte e um) eram do sexo feminino e 14 (quatorze) do masculino, com idade média de 62 anos, variado de 18-89 anos.Com relação a ferida operatória constatou-se que 100% dos pacientes que compuseram a amostra do estudo não apresentaram nenhuma lesão peri-incisional (flictenas), podendo ser mantida a cobertura de hidrocolóide por 72 horas. 

Tabela 1- Custo do curativo hidrocolóide transparente em cirurgias ortopédicas. São Paulo. 2000

Nota-se na Tabela 1 que o custo envolvido nos três dias de pós-operatório de cada paciente que compôs a amostra desse estudo foi somente um hidrocolóide cujo valor vigente foi R$ 55,55 (cinquenta e cinco reais).Com a finalidade analisar o custo-eficácia desse tratamento tópico foi feita a comparação com a utilização de gaze e adesivos micrósporos e, também, com a cobertura de gaze não aderente combinado com filme transparente. Os quais estão apresentados nas Tabelas 2 e 3.Tabela 2 - Custo da cobertura com gaze e adesivo microporoso em cirurgias ortopédicas. São Paulo. 2000
Os resultados exibidos na Tabela 2 mostram que o custo para realizar três dias de tratamento com a utilização de cobertura convencional era de R$ 97,30 (noventa e sete reais e trinta centavos). Constata-se que os custos dessa modalidade de tratamento tópico estão mais relacionados com as horas de enfermagem despendidas no 1º e no 2º pós-operatório, uma vez que somente foram consumidos R$ 32 76 (trinta e dois reais e setenta e sei centavos) com materiais.

Tabela 3- Custo da cobertura gaze não aderente combinada com filme transparente em cirurgias ortopédicas. São Paulo. 2000


Na Tabela 3, é possível perceber que se gastavam R$ 152,62 (cento e cinquenta e dois e sessenta e dois centavos) para realizar 72 horas de tratamento era maior por não ser possível, na maioria das vezes, manter a cobertura, devido às lesões referidas anteriormente. Dessa forma, já no 1° pós-operatório a cobertura era retirada e optava-se por tratamento convencional.A análise dos resultados aponta que das três modalidades de tratamento o maior custo foi relacionada com filme transparente quando comparado com os demais. 4. Conclusões
Esse estudo nos permitiu concluir que:- o curativo hidrocolóide transparente preveniu as lesões peri-incionais em 100% dos casos, mesmo aqueles com edema acentuado;- não foi verificado nenhum tipo de reação alérgica ou hiperemia local;- nenhum paciente referiu dos quando da retirada do curativo hidrocolóide;- a utilização do curativo hidrocolóide transparente mostrou-se sensivelmente mais econômica que as demais modalidades. 5.Considerações finais

Com os resultados obtidos no presente estudo foi possível alcançar a nossa finalidade em obter subsídios para a mudança nas condutas e com melhor relação de custo-eficácia. Desde então se tem adotado a cobertura de hidrocolóide transparente em todo tipo de cirurgia ortopédica e não tivemos mais o problema de lesão peri-incional.Acreditamos que esse relato de experiência possa no levar a um novo caminho no tratamento de feridas pós-operatórias. No entanto se fazem necessários mais estudos em outras especialidades cirúrgicos, objetivando sempre a melhora na qualidade de assistência prestada, bem como a da qualidade de vida do cliente/paciente. 

Downloads

Download data is not yet available.

References

Doughty, BD. Principles of wound healing and wound management. In: Bryan RA. Acute and chronic wounds: nursing management. 2ºed. Mosby St Louis; 1992. Cap2,p. 4-41.

Published

2016-03-23

How to Cite

1.
Pires RP, Muniz ECS, Ventura MF. A prevenção de lesões Peri-incisionais em cirurgia ortopédica com a utilização da cobertura hidrocolóide transparente: relato de experiência. ESTIMA [Internet]. 2016 Mar. 23 [cited 2024 Apr. 14];1(1). Available from: https://www.revistaestima.com.br/estima/article/view/1

Issue

Section

Article